De ‘Girafales do Chaves’ à ‘Camila de Amor de Mãe’: professores da TV que fizeram história

“A educação é um ato de amor, por isso, um ato de coragem. Não pode temer o debate. A análise da realidade. Não pode fugir à discussão criadora, sob pena de ser uma farsa”. A famosa frase de Paulo Freire pode, provavelmente, ter inspirado a construção de vários professores da ficção brasileira e mundial.

Mesmo quando os docentes fictícios são cômicos ou exagerados em programas de humor, há sempre uma lição de afeto no ato de ensinar. Em alguns casos, os professores e professoras vão além do papel de educadores e se tornam amigos, confidentes, ensinando mais que a matemática e o “beabá” da língua portuguesa, fazendo com que os alunos também aprendam sobre a vida.

Em 71 anos de televisão no Brasil, muitos personagens, brasileiros ou não, que passaram pela telinha nos canais abertos, marcaram a vida de várias gerações. Já “desaparecidos” da TV por algum tempo, há nomes que, de tão marcantes, continuam servindo de referência quando o assunto é docência fictícia.

Em celebração ao Dia do Professor nesta sexta-feira, 15 de outubro, o MidiaMAIS preparou uma listinha com algumas dessas figuras mais memoráveis dignas de menção honrosa. Confira:

Professor Girafales (Rubén Aguirre), de “Chaves” (1971 a 1980)

Eterno apaixonado por Dona Florinda (Florinda Meza), mãe de seu aluno Kiko (Carlos Villagrán), ele fazia de tudo para ensinar sua turma, mas essa era uma tarefa das mais complicadas. Precisando lidar com as mais variadas personalidades infantis, Girafales tentava manter a compostura fumando seu charuto e encontrava fuga ao ir tomar uma xícara de café na casa de Dona Florinda.

Professora Clotilde (Maitê Proença), da novela “O Salvador da Pátria” (1989)

Foi graças às aulas de sua professorinha que Sassá Mutema (Lima Duarte), um homem puro e ignorante adquire educação para sair da realidade miserável em que vive na pequena Tangará. Clotilde alfabetiza o protagonista e se apaixona por ele. O amor é correspondido, mas não pode ser vivido. Com a educação recebida pela professora, Sassá consegue se tornar o prefeito da cidade.

Professor Raimundo (Chico Anysio), na “Escolinha do Professor Raimundo” (1990 a 2012)

“E o salário, ó”. Este foi apenas um dos memoráveis bordões que Chico Anysio (1931-2012) lançou e eternizou em mais de três décadas no comando do seriado de humor, “Escolinha do professor Raimundo”, com sua voz marcante. 

Professor Tibúrcio (Marcelos Tas), do programa “Rá-Tim-Bum” (1990 a 1994)

O humorista Marcelo Tas deu vida ao icônico personagem do programa “Rá-Tim-Bum”, transmitido pela TV Cultura de 1990 a 1994. No quadro, o mestre pálido, de beca e capelo, longos cabelos grisalhos e voz estranha, esclarecia dúvidas interessantes dos alunos. A frase com que iniciava as aulas se tornou um emblemático bordão: “Olá, Classe!”. 

Professora Lu (Leila Lopes) na novela “Renascer” (1993)

Parecida com a Clotilde de “O Salvador da Pátria”, Lu foi a bela professora que os habitantes de um lugarejo rural receberam para alfabetizá-los. Lu se apaixonou pelo peão Rafael (Kadu Moliterno) e se tornou uma das docentes mais queridas pelos noveleiros mais antigos.

Professor Pasqualete (Nuno Leal Maia) em “Malhação” (de 1999 a 2005)

Divertido, Pasqualete foi um dos mais marcantes professores que já passaram pelos diversos colégios de “Malhação”. Estreou na temporada do “Múltipla Escolha”, em 1999, e ficou até 2005, com algumas interrupções. Segundo professor na carreira de Nuno Leal Maia, que já havia interpretado um docente em “A Gata Comeu” (1985). Em “Malhação”, Pasqualete dava aulas de português.

Santana (Vera Holtz) em “Mulheres Apaixonadas” (2003)

Na fictícia Escola Ribeiro Alves de “Mulheres Apaixonadas”, Santana foi a professora que mais tumultuou. Além de Raquel (Helena Ranaldi), que se envolveu com um aluno, a personagem de Vera Holtz lecionava geografia e religião e ficou marcada por representar uma alcoólatra. Após muito sofrimento, ela venceu a luta contra o alcoolismo, graças ao apoio de alguns de seus queridos alunos.

Versões brasileira e mexicana eternizaram a mesma personagem em 1991 e 2012

Professora Helena (Rosanne Mulholland), de Carrossel (2012)

Tanto na versão mexicana, exibida pelo SBT em 1991, quanto na versão brasileira, produzida pela mesma emissora em 2012, a professorinha apaixonada por sua profissão marcou gerações. Helena era a professora do terceiro ano da Escola Mundial e, além de devotada às aulas, ela também se envolvia nos problemas pessoais de seus alunos, ajudando-os a resolverem seus conflitos familiares.

Professora Camila (Jéssica Ellen), de “Amor de Mãe” (2019-2021)

Filha adotiva de Lurdes (Regina Casé), Camila foi encontrada ainda bebê. Era uma jovem negra, de origem humilde e a primeira da família a conquistar um diploma. Camila se torna professora de História de uma escola estadual e deu um panorama dos desafios que a educação pública enfrenta, confirmando o fato de que as oportunidades não são iguais para todos. Mesmo diante das adversidades, a personagem busca atrair atenção dos alunos lhes mostrando (e mostrando pra gente também) o outro lado da História.

E aí, lembra de algum deles? Faltou alguém importante na lista? Qual foi o professor da ficção que mais te marcou?

*Midiamax

Confira também

Anitta vai cantar na final da Libertadores

A cantora Anitta revelou que irá se apresentar na final da Copa Libertadores da América …