Aulas na Rede Estadual retornam nesta segunda

Após um ano e meio longe das escolas, mais de 200 mil alunos da Rede Estadual de Ensino voltarão para o ensino presencial de forma escalonada. O revezamento começará amanhã (2) em todo Mato Grosso do Sul.

O ensino híbrido deve variar em cada município, já que a lotação da sala dependerá dos indicadores de risco do Programa Prosseguir. As cidades que estão na bandeira cinza devem ter até com 30% dos estudantes em sala no retorno presencial.

Na bandeira vermelha, as escolas devem ter 50% dos alunos. Já na bandeira laranja, 70% dos alunos devem estar em sala de aula.

A bandeira amarela sinaliza que as escolas podem colocar até 90% dos alunos. 

As aulas 100% presenciais só votarão nas cidades com a bandeira verde, o grau baixo de contágio do coronavírus.

“O escalonamento das turmas deixará de ocorrer somente quando o município estiver com a bandeira verde, que indica grau de risco baixo. Neste caso, teremos as turmas completas e sem a alternância”, explica a secretária de Estado de Educação, Cecilia Motta.

Último boletim do Prosseguirmostrou que maioria dos municípios de Mato Grosso do Sul estão na bandeira vermelha.

São 38 municípios em bandeira vermelha, 31 em bandeira laranja, que representa grau de risco médio, e 10 em amarelo, de grau tolerável.

Não há cidades no risco baixo nem no extremo, representado pelas bandeiras verde e cinza, respectivamente. 

Na semana passada, havia 41 municípios na bandeira laranja, 32 em bandeira vermelha e seis na amarela.

Nas semanas que deverão ficar em casa, os alunos serão atendidos por meio das Atividades Pedagógicas Complementares (APCs) que poderão ser disponibilizadas de forma virtual ou impressa pelas equipes escolares da REE.

“Para este retorno das atividades presenciais, é fundamental que os pais mantenham o contato com a escola, com os gestores, a fim de ‘tirar’ possíveis dúvidas e conhecer melhor a organização que será adotada durante este período. O diálogo, como sempre, é imprescindível”, afirmou a secretária.

Na última semana, a secretária também explicou que se o aluno não comparecer, e a família não justificar, haverá a busca ativa. 

Nesta etapa, os responsáveis terão que esclarecer a ausência do estudante.

“Mas se a família não quiser mandar o filho para escolar sem nenhum motivo, a gente vai usar os outros órgãos de controle, como o Conselho Tutelar e o Ministério Público”, disse.

“Educação não é uma opção da família, nem do Estado, nem da sociedade. A educação é uma obrigação dos três”, completou.

ServiçoNeste site é possível conferir detalhes sobre a alternância das turmas, aprofundamento sobre o Protocolo de Volta às Aulas e outras informações.

*Correio do Estado

Confira também

Fundtur dobra o valor para eventos geradores de fluxo turístico e reforça apoio aos destinos do Estado

A Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur) lançou dois editais para fomento …