Home / Capital / Com 260 espécies de animais, Aquário do Pantanal poderá ser local de pesquisa para Alemanha

Com 260 espécies de animais, Aquário do Pantanal poderá ser local de pesquisa para Alemanha

Para ampliar as relações bilaterais entre Mato Grosso do Sul e Alemanha, o cônsul Axel Zeidler, pela primeira vez no Estado, se reuniu com o governador Reinaldo Azambuja e o vice-governador e titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra), Murilo Zauith, nesta semana. O objetivo da visita foi conhecer e traçar as possibilidades de cooperação entre Estado e o país europeu. O Aquário do Pantanal, que deve ser entregue à população no fim de 2020 e terá mais de 260 espécies de animais, esteve entre as pautas como uma oportunidade de pesquisa para as universidades alemãs.

Durante o encontro, o vice-governador  propôs um convênio com as universidades da Alemanha, disponibilizando o Centro de Pesquisas e Reabilitação da Ictiofauna Pantaneira, o Aquário do Pantanal, para estudo das espécies que irão compor os 32 tanques do Aquario.

“O Aquário será um centro de estudos e pesquisas, um empreendimento turis-científico da biodiversidade pantaneira. Propusemos um convênio com as universidades alemãs para que eles possam pesquisar as diversas espécies que teremos aqui, inclusive os exemplares inéditos que já registramos”, explicou o vice-governador.

Governador, vice-governador e secretários recebem representantes do consulado alemão. (Foto: Amanda Tesman)

Instalado no Parque das Nações Indígenas, principal cartão postal de Campo Grande, o Centro de Pesquisa contará com 260 espécies de animais, entre peixes, invertebrados, répteis e mamíferos. Ao menos 12 mil animais da ictiofauna pantaneira vão habitar os 32 tanques (24 internos e oito externos) da estrutura. Serão 5,4 milhões de litros de água e um sistema de suporte à vida com condições reais do habitat.

Um laboratório, chamado de “Projeto Quarentena”, foi montado há quatro anos para a manutenção de mais de 180 espécies de peixes . Lá, 55 espécies já se reproduziram, sendo nove registros inéditos no mundo e outros três documentados pela primeira vez no Brasil.

O cônsul alemão disse estar genuinamente disposto a criar ampla relação com Mato Grosso do Sul, já que o Estado possui muitas potencialidades. “Queremos ampliar a relação com Mato Grosso do Sul e não ficar apenas em São Paulo, onde existem muitas indústrias. Mas aqui no Estado (MS) tem o turismo, o meio ambiente, o setor agropecuário, além das empresas alemãs que já vendem aqui nossos produtos. Já importamos carne de Mato Grosso do Sul, mas queremos ampliar as relações bilaterais e por isso queremos saber quais as possibilidades de cooperação no futuro”.

Aquário do Pantanal. Foto: Edemir Rodrigues

Além do Aquário, fizeram parte da pauta do encontro a Rota Bioceânica, Pantanal, Aquário do Pantanal e Direitos Humanos. Também participaram do encontro o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck;  a secretária de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), Elisa Cleia Nobre; o cônsul-geral adjunto, Jens Gust; e o cônsul honorário da república federal da Alemanha em Campo Grande, Reinhard Knoch;

 

Luciana Brazil, Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra). 

Foto destaque: Edemir Rodrigues.

Confira também

Em 1º domingo de lojas abertas, Centro tem movimentação tímida

Este domingo (8) é o primeiro em que as lojas do Centro de Campo Grande …