Home / Capital / Prefeito tem ao menos 11 pré-concorrentes a administração
Nomes cotados serão concorrentes importantes na disputa em 2020 - Foto: Valdenir Rezende / Correio do Estado

Prefeito tem ao menos 11 pré-concorrentes a administração

O prefeito de Campo Grande e pré-candidato a reeleição, Marcos Trad (PSD), tem ao menos onze concorrentes para o pleito de 2020. Dentro dos partidos há mais de um nome que estão sendo cotado para lançar chapa própria na busca pela administração da Capital.

Entre os nomes cotados nos bastidores da política estão de deputados, vereadores, procurador de Justiça e da senadora Simone Tebet (MDB).

Dentro do PSL os deputados Capitão Contar e Coronel David tem sido mencionados como possibilidade da sigla do presidente Jair Bolsonaro para assumir o Executivo em Campo Grande. Com o partido rachado, ainda não é possível confirmar quem deve ser o representante. Há ainda outro nome, o vereador Vinícius Siqueira do DEM pode deixar o partido para seguir com o PSL e concorrer a prefeitura.

Não é só o PSL quem tem mais de um nome cotado para concorrer, no MDB o deputado estadual Márcio Fernandes  já declarou que caso seja do interesse do partido, ele quer tentar a vaga em 2020, porém nos bastidores alguns correligionários apontam Simone Tebet como a opção de reerguer o partido na Capital e consequentemente no interior.

A lista dos partidos segue grande, no Solidariedade, os dois deputados estaduais, Lucas de Lima e Herculano Borges, estão colocando o nome à disposição da agremiação para brigar com Marcos Trad pela administração. Deputado de primeiro mandato, Lucas avaliou que acha difícil a reeleição de Trad por conta da insatisfação com a população e que mesmo tendo Marcos como um dos seus maiores rivais ele disse que tem chance.

“Querem renovação. Marquinhos tem levado crítica em muitas áreas na saúde, na demora das obras e a população não está contente”, avaliou.  Ainda de acordo com Lucas, o consenso do partido é pelo nome dele.

No Democratas uma das cartadas é o empresário e agropecuarista Paulo Matos. Segundo Matos, ele tem carta branca dos ministros Tereza Cristina (da Agricultura) e Luis Henrique Mandetta, da Saúde. “Coloquei meu nome à disposição e vou tentar pelo partido”, reforçou ele.

Se Matos realmente for candidato, ele terá nomes fortes para disputar o Executivo municipal de 2020. Entre eles está a deputada federal Rose Modesto (PSDB), que sinalizou uma crise com o partido durante o período de eleição que definiu a escolha do novo presidente da sigla, em que Modesto era uma das propostas, mas acabou sendo colocada de lado.

As conversas de bastidores é de que a deputada não gostou e que poderia migrar para outro partido e se lançar candidata à prefeita de Campo Grande.

Outro que já sinalizou apoio ao prefeito para as eleições de 2020 é o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT) que teve mais de 616.422 votos para governador do Estado, ficando em segundo lugar na disputa. E ainda tem a possibilidade do procurador de Justiça Sérgio Harfouche.

*Correio do Estado

Confira também

PTB quer Delcídio na disputa para prefeito da Capital

Mesmo com o ex-senador e presidente regional do PTB, Delcídio do Amaral, dizendo que não …