Home / Brasil / Economia / Bovespa fecha em alta e renova máxima histórica
Sede da Bovespa, no Centro de São Paulo — Foto: Miguel Schincariol/AFP

Bovespa fecha em alta e renova máxima histórica

O principal indicador da bolsa brasileira, a B3, fechou em alta nesta quinta-feira (3), batendo o recorde de maior patamar de fechamento já registrado pelo segundo dia seguido. Neste pregão, os investidores continuaram repercutindo as expectativas pela aprovação de reformas econômicas, o que reduziu os efeitos do cenário externo mais negativo.

O Ibovespa subiu 0,61%, aos 91.564 pontos. Veja mais cotações. Nos dois primeiros pregões de 2019, o índice já subiu 4,18%.

A Eletrobras teve novo pregão de forte alta, ainda repercutindo as expectativas sobre a continuidade do processo de capitalização da empresa. A cotação das ações da empresa fechou no maior patamar em pelo menos 25 anos, segundo dados do Valor.

A Petrobras também subiu, em dia de posse do novo presidente da estatal.

O mercado tem reagido com otimismo às declarações do novo ministro da Economia, Paulo Guedes, como a de que a Previdência Social, as privatizações e a simplificação de tributos são os “pilares da nova gestão”.

A equipe de estratégia da XP Investimentos, liderada por Karel Luketic, considerou “contundente” o discurso de posse do ministro, “que renovou as expectativas em torno da implementação de uma agenda liberal com redução da carga tributária, privatizações e redução de cargos”, destacou a Reuters. “Evidentemente que todo o foco estará na execução dos discursos de agora em diante”, ressaltou a equipe da XP.

Cenário externo

Os recuos das bolsas dos Estados Unidos reduziram os ganhos do mercado acionário brasileiro nesta quinta. Segundo o Valor Online, os índices norte-americanos eram minados pela divulgação de vendas mais fracas do que o esperado pela gigante Apple no final da quarta-feira, que também afetou bolsas na Ásia e Europa.

O viés negativo em bolsas no exterior também endossava alguma realização de lucro no pregão brasileiro – ou seja, investidores aproveitando a alta recente para vender ações a um preço maior do que o valor que pagaram na compra.

Destaques

As ações da Eletrobras avançaram 5,23% nas ordinárias e 6,01% nas preferenciais, ainda repercutindo a sinalização do ministro de Minas e Energia, de que pretende levar adiante a capitalização da elétrica de controle estatal, além manutenção do presidente-executivo da companhia, Wilson Ferreira Jr.

A Petrobras terminou o pregão em alta, em dia de posse do novo presidente, Roberto Castello Branco. As ações preferenciais subiram 4,45% e as ordinárias, 2,06%. Em seu discurso de posse, Branco criticou a existência de monopólios, e defendeu uma menor intromissão do Estado na economia.

Cerimônia de posse de Roberto Castello Branco como presidente da Petrobras, no Edifício Sede da companhia, no Rio de Janeiro  — Foto: Sergio Moraes/Reuters

Cerimônia de posse de Roberto Castello Branco como presidente da Petrobras, no Edifício Sede da companhia, no Rio de Janeiro — Foto: Sergio Moraes/Reuters

Na outra ponta, a Vale se destacouentre as perdas do dia, com queda de 4,09%. O Valor Online destaca que as ações da mineradora são pressionadas pela cautela dos investidores em relação à China — o sentimento negativo aumentou após a Apple cortar suas estimativas citando o mau desempenho da economia do país asiático.

A terceira prévia da carteira teórica do Ibovespa que irá vigorar a partir de segunda-feira (7) registra a entrada das ações da empresa de galpões logísticos Log Commercial Properties e mantém a inclusão dos papéis da BR Distribuidora.

Com as mudanças na carteira, o Ibovespa, índice de referência do mercado acionário, mantém em sua composição 65 ativos de 62 companhias.

A última preliminar mostra os papéis preferenciais do Itaú Unibanco com a maior participação, de 10,9%, seguidos por Vale, com 10,6%, e Bradesco, com 8,6%.

Petrobras responde por 7% nas preferenciais e 4,9% nas ordinárias na prévia para a portfólio que passa a valer a partir de segunda-feira, quarta e quinta maiores participações, respectivamente.

Na carteira atual, Vale ocupa a liderança, com 12,8% de participação, seguida por Itaú Unibanco (10,4%) e Bradesco (7,1%).

Ibovespa em 2018

No acumulado de 2018, o principal indicador da bolsa brasileira avançou 15%. Foi o terceiro ano seguido de ganhos para o Ibovespa, que subiu 27% em 2017 e 39% em 2016.

A bolsa brasileira teve em 2018 um dos melhores desempenhos entre os principais índices do mundo, em meio a uma queda generalizada nos mercados globais. As bolsas dos Estados Unidos, Europa, China e outros países da América Latina fecharam o ano com perdas.

*G1

Confira também

Saiba a diferença entre dependente e alimentando no IR

Para efeitos de declaração de imposto de renda, dependente e alimentando são figuras diferentes. Normalmente, …