A pedido dos EUA, polícia do Canadá prende executiva chinesa Meng Wanzhou, diretora financeira da Huawei — Foto: Reprodução / JN

Juiz adia decisão sobre diretora da Huawei detida no Canadá

A diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, permanecerá mais um dia presa após a Justiça do Canadá adiar de segunda-feira (10) para terça-feira (11) a decisão sobre um pedido de liberdade sob fiança.

O juiz William Ehrcke, do Tribunal Supremo da província da Colúmbia Britânica, no Canadá, anunciou que prosseguirá a audiência nesta terça após escutar os argumentos da defesa de Meng enquanto se decide se aceita libertá-la ou extraditá-la aos EUA.

Meng é acusada pelas autoridades americanas de fraude por violar as sanções comerciais impostas pelos EUA ao Irã. A executiva chinesa, que é filha do fundador da Huawei, negou a acusação.

A promotoria canadense solicitou a Ehrcke que mantenha Meng na prisão até que os tribunais decidam se a diretora da Huawei será extraditada aos EUA, um processo que pode durar um ano.

Por sua parte, o advogado do Estado declarou que prefere que Meng seja encaminhada para prisão domiciliar.

Ehrcke decidiu adiar sua decisão sobre a liberdade sob fiança de Meng diante das dúvidas colocadas pela promotoria e o advogado do Estado sobre a legalidade de que seja o marido de Meng, um cidadão chinês sem residência no Canadá, quem garanta a fiança a pagar.

*EFE

Confira também

Tóquio muda tradição e só distribuirá preservativos aos atletas quando eles saírem

Desta vez, os atletas que participarem das Olimpíadas não receberão camisinhas durante sua estadia na …