Outras 1.320 moradias estão em fase de aprovação e liberação de verba. - Foto: Álvaro Rezende / Arquivo

Com 40 mil na fila por casa, Emha prorroga licença para construir 624 unidades

Com fila de espera pela casa própria que chega a 40 mil pessoas em Campo Grande, a Agência Municipal de Habitação (Emha) requereu cinco prorrogações de licença ambiental à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), para instalação de 624 casas. Os condomínios são o Sírio Libanês I (72 unidades), II (92), III (92) – no bairro de mesmo nome -, Portal das Laranjeiras I (144) e II (224) – no Jardim Tarumã.

Mas reportagem do Correio do Estado, publicada em outubro mostrou que apenas metade das casas populares previstas para serem construídas na Capital estão com recursos garantidos. Até o início do ano, foram liberados cerca de R$ 130 milhões para a construção de 1.138 casas e apartamentos. Conforme a Emha, já estão com recursos assegurados 1.372 unidades habitacionais, mas o montante a ser utilizado na construção não foi atualizado pela agência. Outras 1.320 moradias estão em fase de aprovação e liberação de verba.

Das unidades que já estão com dinheiro garantido, 848 estão sendo construídas. No Portal das Laranjeiras, as 368 unidades estão com aproximadamente 25% das obras executadas. Em ritmo semelhante está a construção das 256 unidades do Sírio Libanes I e II.

Já no Aero Rancho, os 224 apartamentos estão na fase inicial, com apenas 7% das obras executadas. Placa afixada neste último local indica investimento de R$ 20,1 milhões na construção das moradias. O valor dos demais não foi informado pela prefeitura.

No fim de setembro, a prefeitura divulgou a contratação de mais 300 unidades habitacionais de interesse social com recursos do Fundo de Arrendamento Residencial (FAR) do programa Minha Casa Minha Vida, do governo federal.

O Condomínio Residencial Jardim Canguru será construído no quadrilátero do cruzamento entre a Rua Catiguá com a Rua Betóia, localizado no loteamento Jardim Canguru. O investimento será da ordem de R$ 29.247.017,19 milhões e a média de custo será de 91 mil por apartamento.

As famílias selecionadas estarão enquadradas no Faixa 1 – renda familiar de até R$ 1,8 mil, para a demanda que passará por triagem e a seleção será por meio de sorteio em local público.

Os apartamentos terão 47,01 metros quadrados cada, com 2 quartos, banheiro, sala, cozinha e área de serviço. Na parte de lazer, o residencial contará com quadra de areia, playground e quiosque, totalizando 1.356,03 metros quadrados.

O empreendimento está entre os quatro projetos selecionados pelo Ministério das Cidades em todo o estado de Mato Grosso do Sul. Os demais são de Chapadão do Sul com 96 casas; Nova Andradina com 128; e Paranaíba com 100.

*Correio do Estado

Confira também

Áreas de convívio do novo Parque dos Poderes contarão com totem refrescante à academia

Iniciou esta semana a reforma do Parque dos Poderes, uma demanda já antiga da população …