Home / Saúde / A comida no micro-ondas perde nutrientes?
Seja por conveniência ou por falta de tempo, muita gente prefere o micro-ondas. (IStock/Getty Images)

A comida no micro-ondas perde nutrientes?

Esquentar comida – ou mesmo aderir a receitas de micro-ondas – faz parte da rotina de muitas pessoas, seja por conveniência ou por falta de tempo. Mas existe a crença de que usar o micro-ondas pode eliminar muitos nutrientes do alimento. Isso é parcialmente verdade. De acordo com especialistas, qualquer método de cozimento resulta em perda de nutrientes, portanto, cozinhar da forma tradicional também gera esse resultado. Por causa disso, muitas pessoas aderem à dieta crudívora, que consiste em ingerir apenas alimentos crus ou que tenham sido cozidos a menos de 46 graus.

E essa é, de fato, uma das questões mais importantes em relação à redução de nutrientes: a temperatura do preparo – quanto mais calor, maior é a perda. Outros pontos que devem ser considerados são o tempo de cozimento – quanto mais tempo o alimento é cozido, mais ele perde nutrientes – e a quantidade de líquido usado para cozinhar – parte dos nutrientes perdidos fica na água; assim, quanto menos água, menos nutrientes perdidos.

“O aquecimento típico de micro-ondas resulta em perda mínima de nutrientes valiosos nos alimentos”, revelou Scott A. Rankin, da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, à CNN.

Por quê?

O aquecimento no forno micro-ondas é efeito da interação entre as ondas emitidas pelo eletrodoméstico e as moléculas de água presentes nos alimentos; essas moléculas absorvem a onda e geram calor. Como cozinhar no micro-ondas requer pouco ou nenhum líquido, isso permite que a temperatura aumente de forma mais uniforme.

“Assim, o ponto em que todas as partículas do alimento atingiram a temperatura desejada é conseguido com pouco dano”, garante Rankin. Ainda existe a vantagem da economia de tempo, já que esquentar ou cozinhar alimentos no micro-ondas é mais rápido. Essa rapidez influencia positivamente as variáveis de tempo e temperatura, importantes para a retenção de nutrientes.

Já no forno convencional, o ar quente penetra nos alimentos a partir do exterior; por causa disso, a parte externa pode ser excessivamente exposta ao calor, aumentando o potencial de perda nutricional. A menos, é claro, que a comida seja cozida com menos água e pelo mínimo de tempo possível para não ficar dura demais.

Perda de umidade

Apesar de ser uma vantagem para o “time do micro-ondas”, menor quantidade de água também resulta em maior perda de umidade, que, muitas vezes, deixa o alimento ressecado ou borrachudo. Felizmente, é possível contornar esse problema. “Você pode colocar recipiente com água embaixo da bandeja de comida. No caso do cozimento de legumes, por exemplo, pode-se colocá-los em um pote com pouca água e cobrir com filme plástico, deixando um canto aberto para permitir a saída do ar”, orientou Whitney Linsenmeyer, porta-voz da Academia de Nutrição e Dietética, à CNN.

Sempre menos

Seja no forno convencional ou no micro-ondas, tente sempre diminuir o tempo de cozimento sem prejudicar a textura do alimento. Também reduza a quantidade de água (não é necessário 1 litro de água para cozinhar duas batatas-inglesas pequenas) e utilize o líquido restante em receitas de caldo de legumes, já que boa parte dos nutrientes perdidos foi transferida para a água.

*Veja

Confira também

Em meio a investigação, faltam remédios e insumos no HR

Enquanto o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), segmento do Ministério …