Home / Capital / Casas da Emha são vendidas ilegalmente em Campo Grande

Casas da Emha são vendidas ilegalmente em Campo Grande

Mesmo após uma série de fiscalizações da Agência Municipal de Habitação (Emha) para regularizar e retomar imóveis ocupados irregularmente ou com inadimplência, os moradores do Jardim Paulo Coelho Machado continuam a comercializar as casas. A venda ou negociação antes da quitação do imóvel são ilegais, e quem vende, compra ou repassa o bem fica excluído dos programas habitacionais públicos.

Mas as possíveis penalidades não intimidam. Os anúncios de venda são expostos em placas e até pintados nos muros, e quem negocia não esconde a intenção, apesar das possíveis punições. Na Rua Lourezo Torres Cintas, uma das principais do bairro, os moradores dizem que a maioria das pessoas que vivem na região adquiriu as casas – entregues em 2003 – de forma irregular.

“Meu filho comprou a casa há 13 anos e já foi o quinto proprietário. Na época, pagamos R$ 3,7 mil pelo ‘direito’, é como o pessoal chama a negociação por aqui. Mas continuamos a pagar as prestações. Hoje está quitada, é nossa. Mas quando compramos não tinha garantia nenhuma. Todo mundo faz isso, a maioria das pessoas que mora não foi sorteada”, diz a moradora Matilde Ayala, 74 anos.

Na mesma rua, a placa de “vende-se” em uma das casas mostra que as negociações continuam desde a inauguração do residencial, há 15 anos.

*Correio do Estado

Confira também

Feira 4.0 cumpre a missão de aproximar negócios da inovação e tecnologia

Com o tema “Tecnologia Inspira Negócios”, a Feira do Empreendedor 4.0, realizada pelo Sebrae em sua …