Home / Entretenimento / Música / ‘Din Din Din’, mostra o poder das redes sociais

‘Din Din Din’, mostra o poder das redes sociais

Até então, o sucesso de uma música podia ser mensurado diante de seu impacto nas redes sociais. A cantora Ludmilla mudou completamente essa lógica. Ela viu um refrão na internet e decidiu fazer uma graça com ele para chamar a atenção de um rapaz em quem está interessada. Algo natural para uma menina de 23 anos, não fosse ela uma das principais cantoras da nova geração. O refrão-chiclete grudou na cabeça das pessoas: “Já vou logo avisando que eu não tenho namorado. Din Din Din, pode dar em cima de mim. Tá com ciúmes? Tá com ciúmes? Pega na mão e assume.”

Muitas pessoas replicaram o refrão para mandar indireta para seus próprios crushes, com novas versões e muitos memes. Resultado: o vídeo no Instagram soma 5,5 milhões de visualizações. Diante desse fenômeno, Ludmilla decidiu fazer uma música a partir daquele refrão, em parceria com Mc Pupio & Mc Doguinha. Din Din Din chegou ao Top 5 do Spotify no Brasil e 17ª posição no global.

Essa indireta merece medalha de ouro kkkkkkkk

A post shared by Ludmilla (@ludmilla) on

As redes sociais pautaram o lançamento da música?
Sim. Foi uma coisa surreal. Não tinha ideia do que aconteceria. Gravei mesmo de brincadeira. Vi o refrão na internet, achei engraçado e quis postar a indireta. Daí a coisa tomou uma proporção enorme.

Quando percebeu que seu post viralizou? 
Logo na hora houve um impacto enorme. As pessoas começaram a cobrar pela música que, naquele momento, não existia. Foi uma correria. Eu fiz a música inteira no dia seguinte ao post e entramos em estúdio uma semana depois. Tudo bem rápido. Minha próxima canção de trabalho seria Jogando Sujo, mas tivemos de adiar diante desse sucesso inesperado. Cada uma vai brilhar no tempo certo, estou bem feliz.

O refrão lhe rendeu a música, mas e o rapaz para quem mandou a indireta: está rolando?
Estamos nos falando, mais ou menos. Está rolando uns WhatsApps.

Você assumiu recentemente seu cabelo natural. Há uma mudança de postura na questão de empoderamento da mulher negra?
Eu cresci, amadureci e estou mais ativa nesta questão. Meu cabelo mostra que nós, que temos cabelo afro, podemos fazer o que quisermos. Ele combina com tudo. Esses dias a Giovanna Ewbank me falou que a filha dela, a Titi, adora usar bandana porque via o acessório em mim. Isso me motiva a fazer mais looks com carinho. Quero representar as meninas negras do jeito que elas merecem.

*Veja

Confira também

Morre Aretha Franklin, lenda da soul music, aos 76 anos

Aretha Franklin morreu nesta quinta-feira aos 76 anos. A assessora da cantora, Gwendolyn Quinn, confirmou a informação …