Home / Capital / Comunidade recebe certificação na produção de alimentos

Comunidade recebe certificação na produção de alimentos

A produção de alimentos, entre eles, farinha de mandioca e rapadura produzida pela comunidade quilombola Furnas do Dionísio, localizada no município de Jaraguari, recebeu no último dia 9 de fevereiro, o selo de certificação que identifica a participação e qualidade das comunidades na agricultura familiar (Sipaf).

O órgão responsável pela qualificação é a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead), que em Mato Grosso do Sul contou com apoio da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro) e Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer).

Fundada em 1890, a Furnas do Dionísio conta atualmente com 96 famílias que têm nas atividades agrícolas um traço importante de identidade que preserva um pouco da sua ancestralidade com Dionísio Antônio Vieira, mineiro que fundou a comunidade após a abolição da escravatura.

A partir de agora as hortaliças, mandioca e a rapadura da comunidade já podem ter Sipaf estampados em suas embalagens. “Só tenho a agradecer as famílias daqui e as entidades apoiadoras na conquista do selo. É uma coisa que representa muito para a gente porque vai agregar mais valor ao nosso trabalho. O selo é uma reafirmação da qualidade dos nossos produtos que já são bem conhecidos”, afirmou o presidente da Associação de Pequenos Produtores Rurais da Comunidade, Adriano Silva.

Há 35 km de Capital, a proximidade facilita não apenas a fama dos produtos que é feito de boca em boca como também a comercialização. Além de entregar alimentos para a merenda escolar pelo Pnae – Programa Nacional de Alimentação Escolar, os agricultores fazem a venda de alimentos na Ceasa – Central de Abastecimento de Mato Grosso do Sul.

A certificação tem validade de cinco anos, podendo ser renovada. É concedido às empresas e cooperativas, portadoras ou não de DAP – Declaração de Aptidão ao Pronaf, e a agricultores familiares, desde que portadores de DAP, para identificar produtos como verduras, legumes, polpas de frutas e laticínios, etc.

*Correio do Estado

Confira também

Votação do Plano Diretor pode ficar só para 2019

Na tentativa de destravar a tramitação do projeto do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano Ambiental …