Recreadoras fazem mais uma denúncia de maus tratos em Ceinf da Capital

Mais uma denúncia de maus tratos foi feita por recreadoras de um Centro de Educação Infantil de (Ceinf) do Jardim Aero Rancho, em Campo Grande. Em um dos casos, uma criança de 3 anos foi obrigada a comer o próprio vômito. “Tinha arroz feijão e macarrão, só que o menino queria apenas o macarrão, então ela disse que ele deveria comer tudo que tinha no prato e começou a obrigar colocando a comida na boca dele. Foi quando ele vomitou no prato, ela então mexeu aquele vômito na comida e fez com que ele comesse”, relata uma das trabalhadoras que terá a identidade preservada.

Essa situação de maus tratos aconteceu no Ceinf do Aero Rancho, setor 7. Os casos ocorrem desde 2014, quando a recreadora presenciou a primeira situação, que a fez denunciar o caso para a diretora da unidade, que não teria tomado providências sobre o caso. “A primeira vez que notei o tratamento dessa recreadora, foi quando ela colocou a mamadeira com tudo na boca de uma criança de menos de um ano, que era do berçário. O bebê chegou a cair para trás”, afirma.

A mulher relata que depois de ver a cena, denunciou, mas passou a ser perseguida pelas outras recreadoras. “A diretora falou que iria conversar, mas não fez nada, foi aí que começou a perseguição, inventaram até apelido pra mim, de X9 e outros”, conta.

A mulher afirma que a recreadora teria alguma ‘birra’ com o menino de 3 anos. “Era só com ele, uma vez até trancou ele numa sala sozinho. Outra, deixou ele sem comer”, revela. No Ceinf, de acordo com a denúncia, algumas das recreadoras chegavam a comprar refrigerante e tomar na frente das crianças, também gritavam e obrigavam que elas dormissem. Ainda, de acordo com as informações, duas trabalhadoras que fizeram a denúncia foram remanejadas para outras unidades.

A recreadora acusada trabalhava há sete anos na unidade e é concursada. Ela também teria sido remanejada. A vice presidente do Senalba, Elenir de Arruda, afirma que o Sindicato recebeu as denúncias e está a disposição para que as trabalhadoras denunciem. “Recebemos essa denúncia do Ceinf do Aero Rancho em 2014 e desde então lutamos para que a prefeitura tome alguma providência sobre o caso, mas até agora nada. As meninas denunciam, mas também tem medo, já que sofrem retaliação”, afirma Elenir.

A denúncia já foi protocolada pelo Senalba – Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional de MS, à Secretaria Municipal de Educação (Semed).

*Diariodigital

Confira também

Caminhoneiro de MS é sequestrado enquanto fazia reparos no veículo em rodovia

Na manhã de sábado (18), homem procurou a polícia para relatar que o pai, de …