Marta Suplicy recebeu R$ 500 mil via caixa 2, diz Odebrecht

Executivos da empreiteira Odebrecht revelaram em delação premiada que a senadora e candidata à prefeitura de São Paulo Marta Suplicy recebeu 500.000 reais via caixa dois na campanha de 2010, segundo o jornal Folha de S. Paulodesta quarta-feira. Na época, Marta concorreu ao cargo no Senado pelo PT, sigla que deixou no ano passado para se filiar ao PMDB, sob a justificativa de que “não tem como conviver” com os escândalos de corrupção nos quais o partido está mergulhado.

Segundo os delatores, que prestaram depoimento aos procuradores da Lava Jato há duas semanas, a negociação foi feita com o empresário Márcio Toledo, então namorado da senadora – atualmente eles estão casados. Toledo atuou nos bastidores da coordenação de campanha de Marta. Se corrigido pela inflação do período, o valor seria de 757.000 reais hoje.

Por meio de sua assessoria de imprensa, Marta informou à Folha que “não houve nenhuma doação da Odebrecht” à sua campanha de 2010. “Os responsáveis pela arrecadação e prestação de contas foram o tesoureiro da campanha e o Comitê Financeiro Único do PT”, afirmou. “Todas as doações da campanha foram contabilizadas oficialmente e declaradas à Justiça Eleitoral”, completou a senadora ao jornal.

O marido dela, Márcio Toledo, declarou ser “leviana e mentirosa a afirmação de que negociei com a Odebrecht doação de recursos para a campanha de Marta Suplicy ao Senado em 2010”.

*Veja

Confira também

Ministério Público consolida normas que regulamentam nomeações de parentes

O Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) aprovou a proposta de resolução que consolida e …