Homem-bomba ataca hospital no Paquistão e deixa 70 mortos

Um homem-bomba matou ao menos 70 pessoas e deixou mais 112 feridos em um ataque que atingiu um hospital do governo na cidade de Quetta, no Paquistão. A explosão aconteceu no momento em 200 pessoas estavam reunidas em luto pelo assassinato poucas horas antes de um famoso advogado da região.

“Há muitos feridos, então o saldo de mortes ainda pode aumentar”, afirmou o ministro da Saúde da província do Baluchistão, Rehmat Saleh Baloch. A maior parte das vítimas eram jornalistas e advogados, que acompanhavam desdobramentos da morte de Bilal Anwar Kasi, presidente do colégio de advogados provincial. Ele foi assassinado a tiros por um grupo de homens não identificados quando estava a caminho de seu escritório.

O Movimento Talibã do Paquistão (TTP), uma organização que reúne diversos grupos militantes islâmicos, reivindicou o atentado. Segundo a rede BBC, especialistas locais acreditam que o ataque jihadista mirou os advogados como uma afronta ao Estado paquistanês. Um policial da cidade, Zahoor Ahmed Saeed Afridi, afirmou que a morte de Kasi e o ataque no hospital provavelmente têm ligação.

A região do Baluchistão, que faz fronteira com o Irã e o Afeganistão, tem importantes reservas de gás natural e é afetada constantemente pela violência entre muçulmanos sunitas e xiitas, além de uma revolução separatista.

*Com Estadão Conteúdo e Reuters

Confira também

Astronauta registra do espaço erupção de vulcão

Um astronauta francês fotografou a erupção do vulcão de Cumbre Vieja, nas Ilhas Canárias, vista do …