Com queda de junho, serviços têm retração de 3,4% em um ano

O volume do setor de serviços do Brasil voltou a recuar em junho, 0,5%, após ter mostrado leve aumento de 0,2% em maio, em mais uma indicação de que a economia brasileira ainda não dá sinais consistentes de recuperação. Em relação a julho de 2015, a queda no volume foi de 3,4%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quinta-feira, pior desempenho para o mês desde 2012. Em maio, na mesma base de comparação, a queda havia sido de 6,1%.

Com o resultado de junho, o volume de serviços prestados acumulou queda de 4,9% no ano e recuo de 4,9% em 12 meses. Segundo o IBGE, o resultado mensal de junho foi pressionado pelos segmentos de serviços prestados às famílias (-0,5%), outros serviços (-1,5%), entre outros.

Na ponta oposta, houve crescimento nos segmentos de serviços de informação e comunicação (0,2%) e transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (0,1%).

Segundo o IBGE, o agregado especial das atividades turísticas recuou 0,6% em junho, em comparação ao mês imediatamente anterior.

Em julho, a retração no setor de serviços no Brasil foi menos intensa, segundo a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês), devido em parte por causa da Olimpíada, que ajudou os novos negócios no período.

*Com agência Reuters

Confira também

PIS-PASEP: Calcule e descubra quanto vai receber a partir de 2022 com reajuste

O reajuste previsto para o salário mínimo vai impactar em vários benefícios. Um deles é …