Após um ano com o bebê errado, família recupera filho trocado na maternidade em El Salvador

Quando M

ercedes Casanellas viu seu bebê recém-nascido pela primeira vez no ano passado, logo notou as semelhanças físicas com ela e seu marido Richard Cushworth. Moradora do Texas, nos Estados Unidos, Casanellas fez um cesariana de emergência em El Salvador, seu país natal, para onde resolveu voltar para dar à luz o primeiro filho.

Como o menino nasceu prematuramente, foi preciso passar a noite sob observação em outro quarto. “Ele foi entregue a mim, eu lhe dei um beijo e ele foi levado ao berçário. Foi a última vez que o vi”, disse a mãe à rede BBC. No outro dia, o bebê que voltou tinha uma aparência um pouco diferente e a cor da pele mais escura. Casanellas avisou às enfermeiras que aquele não era o bebê que conheceu na noite passada, mas foi convencida pelos funcionários do hospital que se tratava da mesma criança. Então, o casal nomeou o menino como Jacob e voltou com o filho para os Estados Unidos.

Durante cerca de dois meses, Mercedes e Richard cuidaram da criança com todo amor e atenção, mas a mãe não conseguia livrar-se da suspeita de que aquele não era seu bebê. Por garantia, ela resolveu fazer um teste de DNA. “Senti que estava traindo ele, mas não poderia viver com aquele sentimento”, contou à BBC.

Os testes revelaram que existia menos de 1% de chances de ela ser a mãe biológica de Jacob. “Eu fiquei chocada, mas comecei a perguntar: onde está o meu filho?”, disse Mercedes à TV WFAA. E foi aí que começou uma jornada de quase um ano para buscar o verdadeiro bebê e levá-lo para casa, nos Estados Unidos.

Casanellas e Cushworth entraram em contato com o hospital, que conseguiu localizar o outro casal de pais. Após alertarem as autoridades, as famílias fizeram a troca dos bebês que já tinham 4 meses de vida, em El Salvador. “A parte mais difícil foi devolver Jacob. Criamos ele como se fosse nosso”, disse Mercedes. Como a mãe é salvadorenha e o pai britânico, os problemas de imigração impediram por nove meses que conseguissem voltar ao Texas com o filho biológico, que recebeu o novo nome de Moses. Esta semana foi a primeira vez que o menino pôde entrar em seu país.

Depois dos meses de estresse e burocracias, o ginecologista que fez o parto de Moses foi preso, mas as acusações contra ele foram retiradas logo depois. Até hoje, não ficou claro como a troca ocorreu. Segundo a rede CNN, as autoridades de El Salvador estão revisando os protocolos de hospitais para evitar novos incidentes no futuro.

Agora, a família quer aproveitar o tempo perdido longe de Moses. “Não tenho palavras para descrever o que nossos corações sentem com o nosso bebê em casa”, disse Mercedes à CNN. “Obrigada a todos que se uniram na nossa dor e nos alimentaram com esperança”, agradeceu.

*Veja.com

Confira também

Peixe gigante é encontrado em praia na Califórnia

Um peixe gigante que vive apenas em águas profundas do oceano foi encontrado em uma …