O peso da Lava Jato no recuo de Maranhão

O risco de perder o mandato e, consequentemente, o foro privilegiado foi o que mais pesou na decisão do presidente interino da Câmara dos Deputados, Waldir Maranhão (PP-MA), de voltar atrás em anular o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Maranhão é investigado na Operação Lava Jato por supeita de receber propina do doleiro Alberto Youssef, que o implicou em sua delação.

Em reação ao ato de ontem, o PP marcou reunião de emergência agora para discutir a situação de Maranhão. Se o partido decidisse expulsá-lo, como ameaçou nesta segunda-feira, ele perderias o mandato – e terminaria nas mãos do juiz Sergio Moro, seu maior medo. “Ele decidiu trocar o Moro pelo foro”, avaliou um deputado governista.

(Fonte: Veja.com)

Confira também

Brasil chega a 38,5 milhões de vacinados contra Covid, 18,23% da população

O Brasil alcançou neste sábado (15) a marca de 38,5 milhões de vacinados contra a …