Homens vão gastar 15% a mais que as mulheres no 12 de Junho

O perfil do cliente para 12 de junho, Dia dos Namorados, é majoritariamente masculino. Dos 49,9% da população que é aguardado nas lojas, 58,7% são homens entre 18 e 29 anos, com ensino médio completo e renda familiar de até três salários mínimos. Além disso, os homens devem gastar 15% a mais que mulheres na hora de presentear. É o que revela a pesquisa sazonal de intenção de compras do IPF- -MS (Instituto de Pesquisa Fecomércio-MS, a Federação do Comércio do Estado) e Sebrae- -MS (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Mato Grosso do Sul).

Segundo a pesquisa, serão movimentados R$ 155 milhões neste ano, contra R$ 168 milhões do ano anterior. A população que deve presentear este ano é 39,2% inferior no comparativo com 2015. Economista da Fecomércio-MS, Regiane Dedé de Oliveira explica que o valor está dividido. “Serão gastos R$ 80 milhões em presentes e o restante em comemorações, como jantares em restaurantes e viagens. Se a gente considerar só a compra de presentes, esse nú- mero diminuiu. O percentual de pessoas que iam comprar presente no ano passado foi de 80%, e neste ano é de 50%”.

O valor médio dos presentes ficou 2,3 % menor: a média em 2015 era de R$ 130, e em 2016 foi estimada em em R$ 127. Os presentes mais citados foram roupas (25,3%), perfumes e cosméticos (22,4%) e calçados (3,6%). “Em relação ao ano passado, de fato o consumidor está mais cauteloso. Vão procurar valores menores, mas outros setores estarão mais movimentados, como a alimentação fora do lar”.

Padroeiro de Campo Grande ‘ajuda’ setor de viagens na comemoração

“As viagens se destacam para o Dia dos Namorados porque temos um feriado na Capital [13 de junho, Dia de Santo Antônio, padroeiro de Campo Grande] no dia seguinte, e outros setores da economia acabam beneficiados com a data. Mesmo que haja retração, é um período de movimento no comércio e o empresário precisa estar preparado para receber e atrair esse consumidor,” destaca Regiane.

Leandro Lins, consultor da Fecomércio-MS, acrescenta que as pessoas não querem ficar endividadas. Apenas 15,5% disseram que vão parcelar os presentes. “As pessoas que vão pagar em dinheiro somam 61%. Diminuiu a porcentagem da população que quer fazer parcelas. O que é importante ressaltar é que 56% das pessoas que não vão comprar presentes é porque não estão em um relacionamento”.

Consumidores confirmam a média de gastos para a data

De acordo com a pesquisa da Fecomércio e do Sebrae, homens devem gastar R$ 136 e mulheres R$ 118 em média na hora de presentear. O consultor Leandro Lins diz que é comum que homens gastem mais “porque o presente feminino é mais caro, e também porque o homem não tem muita paciência para pesquisar: ele vai focado e compra”.

O bombeiro Leonardo Prates, apesar de não ter certeza do que dará de presente, afirma que também deve sair para jantar com a companheira. “Não sei o que dar, mas varia entre R$ 100 e R$ 200. Normalmente, procuro dar algo que seja útil como roupa, calçado, bolsa, livros. Gostamos de sair pra comer em algum lugar no dia, provavelmente vamos a algum restaurante”, afirmou.

A fisioterapeuta Andressa Frazão acredita que vá gastar em torno de R$ 150. “Não tenho muita certeza sobre o que vou dar, mas acho que vou dar um sapato junto com um kit [com fotos, carta, ursinho]. Além da data comemorativa é nosso aniversário de namoro também”, disse.

Já o operador de controle mestre Álvaro Dias e a namorada resolveram inovar na comemoração. “Nós vamos jogar paintball. Combinamos de fazer algo diferente e que os dois gostam e concordamos em jogar uma partida com outros amigos. O custo é de R$ 30 a cada 100 balas, então acredito que é o que vamos gastar por pessoa”.

Preço médio do presente sobe em São Gabriel e cai em Campo Grande

Dentre a média de gastos, o maior valor ficou com São Gabriel do Oeste, onde os apaixonados pretendem gastar R$ 157,04 –no ano passado, o valor médio era de R$ 137. “É uma característica da região ter um gasto maior, pois a cidade tem uma renda per capita maior. O consumidor da Capital é mais cauteloso,” explica Regiane. O menor valor médio do presente foi encontrado em Aparecida do Taboado: R$ 92,78, contra R$ 143 em 2015. Na Capital também houve retração. Enquanto no ano anterior, a média era de R$ 124, este ano, o campo-grandense deve gastar R$ 111,59.

*O Estado Online

Confira também

Mais de 14 mil doses da Pfizer pousam em Campo Grande nesta segunda

Mato Grosso do Sul recebe o vigésimo lote de vacinas contra Covid-19, com 14.040 doses …