O primeiro-ministro da Líbia Fayez al-Sarraj durante coletiva de imprensa em Viena, na Áustria

EUA e outras potências decidem apoiar com armas a Líbia contra o Estado Islâmico

Os Estados Unidos e outras potências mundiais disseram que estão prontos para apoiar o governo da Líbia com armas e treinamentos para combater o Estado Islâmico. A decisão consta de um comunicado preparado para o encerramento das negociações de alto nível em Viena, antecipado pela agência Associated Press.

A Líbia está sob embargo da Organização das Nações Unidas (ONU) para manter armas letais longe de terroristas e das milícias rivais que disputam o poder no país. O governo de união nacional, apoiado pela ONU e comandado pelo primeiro-ministro Fayez al Sarraj, está aos poucos firmando sua autoridade na capital, Trípoli, mas ainda enfrenta resistência no leste do país.

No encontro em Viena, foi confirmada a previsão de levantar seletivamente o embargo para que armas possam ser enviadas em apoio ao governo de Sarraj no combate ao EI, que mantém cerca de 5 mil combatentes no país, de acordo com a rede Al Jazeera.

O comunicado foi assinado pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU – Estados Unidos, Rússia, França, Reino Unido e China -, além de outros 15 países que participaram das negociações. A nota diz que as nações estão “prontas para responder aos pedidos do governo da Líbia para treinar e equipar as forças do governo”.

(Com Estadão Conteúdo)

Confira também

Rússia produz vacina contra covid para animais

A Rússia produziu 17 mil doses de uma vacina contra a covid-19 para ser utilizada …