Florence Welch do Florence + the Machine

Seis dicas de sobrevivência para o Lollapalooza 2016

Com previsão de chuva para o fim de semana, o tradicional festival de música indie Lollapalooza deve fazer valer o apelido Lamapalooza neste fim de semana. Mas os fãs não costumam se importar. Com uma line up mais elaborada que do ano passado, com nomes como Florence + The Machine, Eminem, Mumford & Sons, Noel Gallagher, Eagles of Death Metal, Alabama Shakes e Marina And The Diamonds, a quinta edição do evento espera cerca de 140.000 pessoas ao longo do sábado e domingo.

Assim como no ano passado, o festival retorna ao Autódromo de Interlagos. Algumas novidades foram anunciadas pela organização, como a mudança da cotação do Lolla Mangos, moeda oficial do evento. Cada mango vale um real – em 2015, o mango correspondia a 2,50 reais.

Ainda é possível comprar ingressos para ambas as datas do festival. O preço da entrada por dia é de 450 (inteira) ou 225 reais (meia-entrada).

Confira na lista abaixo um rápido guia com dicas para facilitar a vida de quem vai ao festival:

Comes e bebes

Além dos tradicionais ambulantes, que transitam pelo evento vendendo bebidas e comidas, o Lollapalooza conta com centros para se comer com calma. Um, o Chef´s Stage, é um ambiente coberto que vai contar com chefs renomados no comando de cardápios especiais. O Lolla Market, que também conta com lojinhas de camisetas e bancas de patrocinadores, terá food trucks para servir o público – os veículos com comidas também estarão espalhados pelo Autódromo de Interlagos. A grande novidade deste ano é a Botecaria do Lola, um novo espaço dedicado à venda de petiscos. Os preços ainda não foram divulgados, mas espera-se que sejam salgados. Em 2015, por exemplo, uma lata de refrigerante saia por abusivos 7,50 reais, enquanto uma água de 300 ml era vendida por 5 reais. Nos food trucks o público também era obrigado a gastar um bom dinheiro para saciar a fome, uma tapioca custava 10 reais, mesmo preço da cerveja.

Guarda-volumes

A organização do festival oferece armários com cadeados para o público guardar seus pertences e não carregar peso pelo Autódromo de Interlagos. Para pegar um dos compartimentos, entretanto, é necessário comprar uma vaga com antecedência. Com 27 cm de largura, 45 cm de altura e 42 cm de profundidade, o aluguel de cada um deles, para um dos dias do festival, fica por 32 reais. As reservas e o pagamento podem ser realizados aqui.

Lolla Mangos

Para a compra de bebidas e alimentos no festival, o público tem que comprar o dinheiro local, o “Lolla Mangos”. Ao contrário do ano passado, a organização decidiu facilitar nesta edição e colocou a cotação da moeda igual a do Real – em 2015, cada mango custava 2,50 reais. Agora o valor é um para um. Os interessados também podem comprar a moeda oficial do festival antecipadamente aqui. Quem realizar a aquisição com antecedência pode retirar os mangos em um dos postos de autoatendimento que estarão espalhados pelo evento, para isso basta levar o cartão de crédito realizado na compra.

O que levar?

É quase desnecessário falar, mas o ingresso. É comum que os distraídos deixem as entradas em casa antes de ir para o festival. Certifique-se também de levar documentos pessoais, que podem ser solicitados na porta e para a compra de bebidas alcoólicas, e comprovantes de meia entrada para os que adquiriram esse tipo de ingresso. Como o festival acontece em sua maior parte de dia, é aconselhável o uso de óculos escuros, chapéu ou boné e protetor solar. Como a previsão é de chuva em ambos os dias, uma capa plástica é a velha e boa pedida. Com grandes gramados, pode-se levar uma canga para aproveitar os shows com mais comodidade. Câmeras portáteis são permitidas, assim como barrinhas de cereal, para não ficar tão refém da comida vendida no festival. Aposte em roupas confortáveis e tênis adequados, afinal, as distâncias no Autódromo são grandes e, se a previsão de chuva acontecer, a lama se fará presente em todo o local.

O que não levar?

A organização do evento não permite a entrada de garrafas, latas, bebidas, embalagens com tampa, capacetes, cadeiras, armas, objetos pontiagudos, cortantes ou perfurantes, fogos de artifício, objetos de vidro, câmeras fotográficas profissionais ou com lente destacável, cartazes em papelão grosso ou em madeira, substâncias inflamáveis e o famoso pau de selfie.

Como chegar?

O Lollapalooza oferece um serviço de transporte, saindo do hotel Sheraton WTC, na Avenida das Nações Unidas, no Brooklin, até o Autodrómo. O horário de saída dos ônibus começa às 11h e eles farão uma viagem a cada meia hora. Para a volta, serão três horários que os veículos deixarão o evento rumo ao hotel, às 20h, 22h30 e 00h30. A organização solicita que se chegue com 15 minutos de antecedência na hora de retornar do festival. O valor individual pelo serviço é de 70 reais. As vagas estarão sendo vendidas até o dia 9 de março, no site da Tickets for Fun.

Para quem optar por ir de transporte público, a Linha 9 – Esmeralda, da CPTM, desembarca na estação Autódromo, que fica aberta até 1h no sábado e 00h no domingo e está a 800 metros do festival. Duas linhas especiais de ônibus foram criadas para o evento, com destino ao terminal Santo Amaro. Elas vão passar pela Avenida Senador Teotônio Vilela e Avenida Jacinto Júlio, que permeiam o autódromo. Aos que preferirem táxi, pontos especiais serão montados próximos aos portões 7, 8 e 9, com carros para atender o público.

O evento também oferece serviço de estacionamento no local, que vendia vagas de maneira antecipada, todas elas, entretanto, já foram adquirida. Aos que compraram, a entrada de carros será pelo portão Z.

(Fonte: Veja.com)

Confira também

Nova versão de ‘Zóio de Lula’, com D2, homenageia Chorão

Uma nova versão de Zóio de Lula – hit do Charlie Brown Jr. lançado em 1999 – …