Filipe Toledo, Adriano de Souza (Mineirinho) e Gabriel Medina. Os três entram como favoritos ao título

Mundial de Surfe começa com 10 brasileiros ‘rumo ao tri’

O Mundial de Surfe 2016 começará nesta quinta-feira com as atenções redobradas para os surfistas brasileiros, já que os últimos dois títulos vieram para o país, com Gabriel Medina, em 2014, e Adriano de Souza, o Mineirinho, em 2015. No total, serão 10 atletas nacionais ao longo da competição, que terá sua primeira etapa na famosa praia de Snapper Rocks, na cidade de Gold Coast, na Austrália. Apenas a Austrália tem mais competidores nacionais do que o Brasil: são 14 ao todo.

Os outros representantes brasileiros, além dos dois campeões mundiais, são: Filipe Toledo, Ítalo Ferreira, Wiggolly Dantas, Jadson André, Miguel Pupo, Alejo Muniz e os novatos Caio Ibelli e Alex Ribeiro. O único que não confirmou presença para participar da Gold Coast foi Alejo, que ainda se recupera de lesão no joelho.

As chances de o Brasil conquistar mais um caneco são grandes, não só por causa do bicampeonato consecutivo, mas pelo desenvolvimento de todos os brasileiros do circuito nos últimos dois anos. Em 2014, definitivamente, foi o ano de Medina, que, além do título, saiu vitorioso em três etapas de todas as onze do circuito – nenhum outro brasileiro havia ganhado uma etapa naquele ano. No ano passado, o número dobrou: foram seis fases ganhas por brasileiros, três com Filipe Toledo, duas com Mineirinho, o campeão, e uma com Medina.

Filipinho vinha como franco favorito no ano passado com três etapas vitoriosas, mas na última, em Pipeline, caiu na terceira fase e terminou na quarta colocação do Mundial. Neste ano, o “rei dos aéreos”, como é conhecido no circuito, já começa a etapa de Gold Coast defendendo o título – no ano passadovenceu o australiano Julian Wilson na estreia do torneio.

​Medina, Mineirinho e Toledo são nomes óbvios para o título em 2016, mas fora eles, há outros que se destacam e prometem fazer uma boa temporada. O potiguar Ítalo Ferreira, de 21 anos, eleito o estreante do ano no Mundial de 2015, é um dos surfistas que devem brigar pela ponta da tabela neste ano. No ano passado conquistou um surpreendente sétimo lugar e disse que o Brasil vem forte novamente: “Os gringos que se cuidem”.

O estreante Caio Ibelli é o nome mais esperado para despontar como novo ídolo do surfe brasileiro. O paulista de 22 anos sagrou-se campeão da WQS, a divisão de acesso à elite do surfe, e, em 2012, já era considerado um grande talento ao faturar o Mundial de Surfe na categoria juvenil.

O australiano Mick Fanning, atual vice-campeão e principal ameaça aos brasileiros no último campeonato, não vai brigar pelo título em 2016. O tricampeão decidiu disputar apenas algumas etapas após ter um ano turbulento, com um ataque de tubarão, em julho, e a notícia da morte de seu irmão, em dezembro, logo quando disputava o título em Pipeline, no Havaí. Com Fanning fora da disputa, os australianos Julian Wilson e Owen Wright, o havaiano John John Florence, e o onze vezes campeão mundial Kelly Slater, de 44 anos, devem ser os principais postulantes ao título do Mundial de Surfe junto com os brasileiros.

As baterias de Snapper Rocks, na Austrália, etapa de abertura do Mundial de Surfe 2016:

1 – Ítalo Ferreira (BRA) x Keanu Asing (HAV) x Ryan Callinan (AUS)

2 – Julian Wilson (AUS) x Michel Bourez (TAI) x Adam Melling (AUS)

3 – Filipe Toledo (BRA) x Jadson Andre (BRA) x Stuart Kennedy (AUS)

4 – Gabriel Medina (BRA) x Caio Ibelli (BRA) x Sebastian Zietz (HAV)

5 – Mick Fanning (AUS) x Matt Banting (AUS) x convidado

6 – Adriano de Souza (BRA) x Kolohe Andino (EUA) x convidado

7 – Jeremy Flores (FRA) x Adrian Buchan (AUS) x Davey Cathels (AUS)

8 – Kelly Slater (EUA) x Matt Wilkinson (AUS) x Conner Coffin (EUA)

9 – Nat Young (EUA) x Kai Otton (AUS) x Alex Ribeiro (BRA)

10 – Josh Kerr (AUS) x Taj Burrow (AUS) x Kanoa Igarashi (EUA)

11 – Jordy Smith (AFS) x Wiggolly Dantas (BRA) x Miguel Pupo (BRA)

12 – Joel Parkinson (AUS) x John John Florence (HAV) x Jack Freestone (AUS)

 

(Fonte: Veja.com)

Confira também

Com 3 times na elite e 2 rebaixados, veja disputas da última rodada da Série B

A uma rodada do fim, a Série B ainda tem disputas acirradas pela elite e contra o …