Após briga em bar, adolescente de 18 anos é morto com tiro no peito

Um jovem de 18 anos foi morto com um tiro na região do tórax nas proximidade do Trevo Imbirussu, na manhã deste sábado (12). De acordo com testemunhas, o rapaz identificado como Mateus Lopes da Silva, morador da Vila Piratininga, estava no Bar Café na Hora por volta das 6h deste sábado quando se envolveu numa briga. O suspeito, que seria um dos funcionários do bar, disparou contra Mateus e está foragido.

O Samu foi acionado, mas ao chegar constatou o óbito. Segundo o soldado Canavarro, do 10º Batalhão da Polícia Militar, no Jockey Clube, a vítima também foi atingida com uma garrafada.

Segundo uma parente da vítima, a atendente em sorveteria Ericka Taynara Silva de Paula, de 19 anos, Mateus morava com parentes desde que o pai faleceu. Ela disse desconhecer que a vítima tivesse passagem pela polícia ou desentendimentos com alguém.

O avô paterno de Mateus,  Manuel Antônio da Silva, 70 anos, aposentado, com quem ele morava, afirmou que a vítima saiu com conhecidos na noite da sexta. “Não tenho muito a dizer, não conhecia os amigos deles. Fico muito sentido, era um rapaz muito novo, lamento que tenha terminado assim”, declarou.

A perícia se encontra no local, além de duas viaturas da PM e uma equipe do SIG (Setor de Investigações Gerais). Segundo a delegada Marina Lemos, a briga que culminou na morte começou do lado de fora do estabelecimento. “Foi uma briga fora do bar, chegaram quatro a cinco grupos de pessoas já brigando, e o rapaz entrou dentro do bar e o pessoal entrou atrás quebrando tudo, foi quebradeira total”, explica. O suspeito de ter atirado em Mateus no tórax é auxiliar do bar, e já está sendo procurado pela polícia.

Segundo o proprietário do bar Claudio Pereira da Silva, 50 anos, foi a primeira vez que aconteceu uma briga dentro do local, com disparo de arma de fogo. “Eu toco o bar há dois anos e nunca havia ocorrido isso. Foi uma briga na lateral do bar e o pessoal entrou. Eu tinha acabado de abrir o bar. Parou um táxi, desceram algumas pessoas e já começou a briga, foi uma correria”, relembra. Ele enfatiza que já havia visto confusão do lado de fora, mas nunca dentro. “Quando vimos, só escutamos o tiro”, diz.

(Fonte: Midiamax)

Confira também

Beijar criança era “normal”, teria dito padrasto em discussão com a mulher

Morto com um tiro na nuca depois de aparecer em vídeo beijando a boca de …