Adesivagem chama população para protesto

Neste domingo (6), militantes do movimento Reage Brasil se esforçaram na avenida Afonso Pena, para convocar a população para o protesto do dia 13 de março, contra o governo do PT na Presidência da República. Para isso, bateram o próprio recorde de adesivagem em uma mobilização de convocação a um ‘#vem pra rua’, chamada que identifica o brado que pede um Brasil novo, mais verde amarelo e com menos corrupção na política.

“Em média antes de cada protesto a adesivagem atinge 1200 carros ao longo de cinco horas de ação na rua, com pontos diferentes. Já neste domingo esse mesmo número acabou em duas horas, por conta de mais pessoas pedirem que fosse colocado no carro o adesivo. Até pra atender todo mundo ficou mais dificil e teve gente que passou duas vezes para conseguir”, explica a servidora pública, Munira Campos, de 51 anos, voluntária do grupo que promovia a mobilização para o dia 13, quando Campo Grande viverá o protesto na Praça do Rádio, a partir das 16 horas.

Também ali na Afonso Pena, entre as ruas 13 de Maio e 14 de Julho, Nelson Verlasco se dizia desconfortável em meio a tanta gente de amarelo, que manifestavam uma revolta ao governo de Dilma Rousseff no país. “Sou completamente favorável a mudarmos o nosso Brasil. E precisa de adesivagem mesmo pro pessoal acordar e ver que indo para a rua a Justiça terá o amparo para fazer o que deve ser feito. Justo hoje me esqueci e vim com a camiseta vermelha, o que fez muita gente me olhar torto, mas o meu sentimento é por justiça”, conta o protético, de 62 anos, que foi ali buscar jornais gratuitos.

De passagem no local, só que com o seu carro, Benedito Gavilan, de 50 anos pediu adesivos e também autorizou a colagem no veículo, opção que ele não fez em edições anteriores do #vempra rua. “O momento é especial, basta ver o que foi a sexta-feira (4) e acredito que chegamos ao limite das coisas. O brasileiro não pode ficar omisso a tanta roubalheira, por isso além de ir no dia 13 quero levar mais gente. Se não mobilizar fica tudo do jeito que está”, disse.

Na ação do Reage Brasil, os organizadores relataram que houve a presença de aproximamente 50 militantes, com expectativa de alcance para 10 mil pessoas, com a distribuição de 4 mil adesivos. A divulgação do protesto para o dia 13, às 16 horas na Praça do Rádio segue durante a semana com chamadas em redes sociais, telefonemas, campainha na casa do vizinho, panfleto e mais adesivagem.

(Fonte: O Estado Online)

Confira também

Nos últimos 14 dias, seis hospitais da Capital tiveram internados por covid

Nos últimos 14 dias, ao menos seis hospitais públicos ou particulares de Campo Grande tiveram, …