PMA prende vigilante por pescar em piracema com tarrafa, em local proibido, e aplica multa de R$ 4,6 mil

Uma equipe de Policiais Militares Ambientais de Três Lagoas, que trabalha no Posto da Cachoeira Branca, montado para a operação piracema, prendeu na noite deste domingo (17), um pescador praticando pesca durante a piracema, utilizando petrechos proibidos (tarrafa) e em local proibido (cachoeira). O infrator, de 46 anos, foi surpreendido pescando na Cachoeira Branca, localizada no rio Verde, no município de Água Clara, com tarrafa de pesca e na cachoeira que é local proibido para a pesca, mesmo em período de pescaria aberta.

Na cachoeira havia um grande cardume de curimbatá e outro de piapara, que eram monitorados pelos policiais do posto, e o infrator já havia capturado 15 peixes. Se a PMA não mantivesse a vigilância dos cardumes com este tipo de petrecho, o infrator poderia dizimá-los em poucas horas de pescaria, devido ao alto poder de captura do petrecho e da facilidade de concentração dos cardumes nas cachoeiras. Com o pescador, que exerce a profissão de vigilante, foram apreendidos 8 kg de pescado das espécies curimbatá e piapara, uma tarrafa, dois molinetes e 13 munições calibre 22.

O infrator recebeu voz de prisão e foi conduzido à Delegacia de Polícia Civil de Água Clara, juntamente com o material apreendido, onde ele foi autuado em flagrante por crime ambiental de pesca predatória e saiu depois de pagar fiança. A pena para o crime é de um a três anos de detenção. O infrator também foi multado administrativamente em R$ 4,6 mil, e o pescado apreendido será doado a instituições filantrópicas.

Confira também

Governo cria programa para incentivar o exercício da cidadania em MS

Para incentivar o exercício da cidadania nos sul-mato-grossenses, o governo do Estado criou o programa …