Parceria entre Agraer e pescadores de Porto Murtinho viabiliza barco e motores náuticos

Mais projetos elaborados por um extensionista da Agraer (Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural) obtém resultados positivos, através da liberação de crédito para aquisição de equipamentos que beneficiarão os trabalhos de piscicultores. Dessa vez os contemplados são da cidade de Porto Murtinho, três pescadores que com o suporte técnico do coordenador Municipal da Instituição, Thiago Berto, decidiram buscar os recursos do Programa Mais Alimentos, uma linha de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf).

A entrega dos equipamentos foi realizada no dia 11 de janeiro, última segunda-feira, no escritório local da Agraer. Graças a qualidade dos projetos apresentados, foi possível viabilizar um montante de R$ 32.475,00 para a compra de três motores Yamaha, sendo eles de 15 HP, 40 HP e 25 HP, além de um barco de 6 metros borda alta.

Em posse dos equipamentos, a perspectiva dos pescadores é a melhor possível, garante a piscicultora Ana Ruiz Dias. “Eu não sabia da existência dessa linha de crédito. O Thiago que veio até a gente para falar como funciona. O bom que terei três anos para poder pagar os R$ 8,800,00 do motor. Começo a pagar só em novembro, assim terei um tempo para me planejar” comemora a mulher que já antevê ações, “Trabalho com barco alugado até eu comprar o meu. A minha intenção é fazer um novo projeto daqui a algum tempo”.

Outro que também se demonstra otimista com a aquisição é o pescador Tomaz Hoffmeister que faz do Rio Paraguai a principal fonte de sustento da sua família. “Tenho um filho que é mecânico de barco e lancha e pela sua experiência me ajudava na hora da locação do barco e, às vezes, até conseguia emprestado com alguém. Mas ter o próprio barco é diferente”, afirma.

“Comprar um barco ou motor fora do Pronaf é mais caro, mais difícil e o prazo de pagamento é mais curto. A gente não compraria um equipamento dessa qualidade sem uma linha de crédito facilitada. Eu, por exemplo, terei dez anos para pagar os R$ 17.451,00 do barco e do motor 40 HP”, afirma o piscicultor.

Há quatro anos no setor, Tomaz que trocou o trabalho em empreiteira pela pesca ressalta a importância de um serviço público de Ater (Assistência Técnica e Extensão Rural) de qualidade. “A gente estava meio por fora do Pronaf Mais Alimentos e se não fosse o Thiago a gente não saberia disso tudo. Já até levei um companheiro no escritório da Agraer para se informar”.

Em Porto Murtinho, são cerca de 300 a 400 pescadores, homens e mulheres que diariamente se dedicam a pesca em um dos rios mais conhecidos do Estado. Pacu, caxara, piau, barbado e pintado são as espécies mais comercializadas. Os alevinos fisgados são vendidos para bares, pousadas e turistas da região.

Para os próximos meses a proposta da Agraer é divulgar ainda mais as linhas de crédito entre os pescadores profissionais. “Nem todo mundo tinha conhecimento no assunto. Vamos dar palestras para falar como funciona o programa”, revela o coordenador municipal da Agência, Thiago Berto.

E do que depender de pescadores como o senhor Tomaz, os trabalhos terão sucesso garantido. “Agora é época de piracema. Então, quando fecha a pesca a gente fica no seguro, mas não fica parado. Eu mesmo vou para a horta ajudar minha esposa. E já fiquei sabendo que tem recursos para quem trabalha nisso. Quem sabe a gente não melhora a irrigação”, avalia ele.

A cerimônia de entrega dos equipamentos contou com a presença dos pescadores beneficiados, Antônia Dias Ruiz, Tomaz Hoffmeister e João Henrique de Campos, o presidente da Colônia de Pescadores Z6, de Porto Murtinho, Zeferino Rodrigues Nunes, o representante do Banco do Brasil, Sandro Pereira e o coordenador da Agraer Thiago Sorroche Berto.

Incentivo a piscicultura

Desde outubro de 2015, os produtores de pescados podem financiar embarcações e motores náuticos pelo Programa Mais Alimentos, uma linha de crédito do Pronaf, que financia investimentos em infraestrutura produtiva da propriedade familiar.

A medida veio de um acordo entre Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) com a Associação Brasileira de Construtores de Barcos e seus Implementos (Acobar), divulgada durante o lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar. O acesso ao crédito vai beneficiar diversos trabalhadores que vivem da pesca.

A medida também promete movimentar o setor náutico, pois a ação do governo federal vai fortalecer e estimular o desenvolvimento da indústria. “Tanto o barco como os motores foram comprados de uma empresa do município de Corumbá. É um dinheiro que circula no Estado e gera rendimentos”, analisa Thiago.

Confira também

Governador lança obras de infraestrutura e saneamento em Nova Alvorada do Sul

O governador Reinaldo Azambuja lança nesta quarta-feira (27) novas obras de infraestrutura urbana e saneamento …