Paraguaio procurado pela Interpol por morte de jornalista é preso no Paraná

Um paraguaio procurado pela Interpol foi preso no centro de Pato Branco, no sudoeste do Paraná, no sábado (9). O homem de 30 anos era procurado desde outubro de 2014 pelas mortes de um jornalista do jornal paraguaio ABC Color e a assistente dele.

Segundo o delegado Getúlio de Moraes Vargas, uma denúncia anônima informou onde o suspeito estava morando na cidade. “A minha equipe estava vigiando esse rapaz desde sexta-feira, após recebermos essa denúncia. Pela manhã, os policiais o abordaram e ele apresentou documentos falsos. Na delegacia, ao verificarmos os dados descobrimos que esse homem é procurado pela Justiça paraguaia por homicídio doloso”, detalha o delegado.

O crime contra o jornalista Pablo Medina, correspondente regional do jornal ABC Color, ocorreu em 16 de outubro de 2014. Medina voltava de um trabalho no estado de Canindeyú quando foi assassinado. A assistente dele, uma jovem de 19 anos, também foi morta.

Medina investigava a participação de um ex-prefeito da cidade de Ypejhú em crimes de tráfico de drogas e homicídios. Antes de ser morto, o profissional já havia recebido diversas ameaças de morte e até 2013 ficou sob proteção policial. O ex-prefeito, apontado como autor intelectual dos crimes, foi preso em 2015 em Caarapó, no Mato Grosso do Sul.

O delegado da Polícia Civil informou que o paraguaio responderá na Justiça brasileira pelo uso de documento falso e tentativa de homicídio. “Ficamos sabendo que ele tentou matar a mulher dele, e também é suspeito de ter matado um intendente paraguaio e um policial civil no Mato Grosso”, diz Getúlio de Moraes Vargas.

De acordo com a Polícia Civil, o paraguaio ficará preso na delegacia em Pato Branco até o pedido formal de extradição.

Confira também

Mais um: Polícia investiga morte de recém-nascido

A Polícia Civil investiga a morte de um recém-nascido, em Campo Grande, que morreu na …