Andar na BR-060 é um risco

DNIT brinca de arrumar e o cidadão brinca de acreditar

Estradas que ligam o sudoeste do estado estão abandonadas pelo Governo Federal e Estadual

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes – DNIT, há muito tempo vem brincando de recapear e recuperar a rodovia que demanda Brasilia – DF à Asunción – Paraguai, a BR-060, trecho que demanda o estado de Mato Grosso do Sul, principalmente a região de fronteira que se encontra abandonada e esquecida e muitas vezes para eles estão como RECAPEADAS.

Quem transita frequentemente pela BR-060, tem constantemente prejuízos e isso não é de hoje, há muito tempo que o serviço vem sendo realizado, digamos assim, “à meia boca”. Agora um serviço espetacular, que o DNIT constantemente está realizando, é a colocação de ‘Guard Rail’, pintura de sinalização e colocação de placas com letras garrafais de “PROGRAMA NACIONAL DE SEGURANÇA E SINALIZAÇÃO VIÁRIA – BR – LEGAL”, mas BR – LEGAL onde? E gastam uma fortuna, mas segurança mesmo que é bom é como nosso dinheiro no banco, NADA! Entendemos então que as placas são apenas piada de muito mau gosto e desprezo a nós contribuintes.

Deveriam sim, continuar a manutenção da BR-060, como foi iniciado de Jardim à Bela Vista, com o recapeamento que não passou dos míseros 3km aproximadamente e nós que andamos por ela esperançosos em sua continuidade, mas nada foi deu continuidade ou feito a não ser o aumento de buracos que dali adiante tinha e seu aumento em tamanho e número, numa demonstração de desinteresse do departamento com a população fronteiriça e, que é pior que paga com sacrifício os impostos e que vive nos lugares onde as mercadorias chegam mais caras de se comprar e de se viver no Brasil em razão do asfalto de má qualidade e sem conservação encarecendo o transporte de mercadorias para a região. Não é questão das chuvas que tem provocados os estragos, mas sim, a falta de vontade política e administrativa em realizar os serviços básicos para a população e devolver ao cidadão o que ele paga de impostos, através de benefícios com rodovias que tenham as mínimas condições de trafegabilidade, isso não está ocorrendo, principalmente na região sudoeste do estado de MS, região abandonada e esquecida, mas que eles não esquecem em cobrar os impostos devidos. A BR-060 está cheia de buracos. Os espaços mínimos do acostamento sumiram, o mato toma conta.

Quem sai de Bela Vista e vai para as cidades vizinhas, que passam a usar a BR-060, enfrenta todos os dias, além da pista molhada, buracos cheios de água, que são verdadeiras crateras e em muitos lugares estão mais para queijo suíço de tantos buracos, acabam tendo muitos prejuízos, entre eles, pneus estourados, suspensão e amortecedores danificados, para a alegria dos borracheiros e mecânicos.Em dias de chuvas ninguém sabe onde estão os buracos, já que os mesmos estão cheios de água e os motoristas devem contar com a sorte e ter muita fé que nada lhe acontecerá, já que os riscos são eminentes e constantes em toda a extensão da rodovia. Enfim não dá para escapar na BR de duas coisas dos velhos e intermináveis buracos e de ver as sinalizações novas e placa afirmando que a RODOVIA É SEGURA e, que a BR – É LEGAL (sic).

MS – 384

Outro problema enfrentado na região são os buracos na rodovia MS-384, que liga Porto Murtinho à Ponta Porã, precisamente entre Caracol – Bela Vista- Antônio João, estão os pontos mais críticos. A empreiteira que está realizando a manutenção vem inovando os trabalhos. Antes do final do ano eles vieram por aqui, com equipamentos e com máquinas abriram os buracos, aonde o asfalto estava deteriorado, acreditamos que iriam realizar a operação tapa-buracos, mas para a nossa decepção alguns dias depois passamos novamente e para a nossa surpresa os buracos estavam cobertos por uma camada de brita de tamanho médio solta e nada mais.

Nesses locais a cada veículo que passava observamos que a brita saia do lugar indo para a pista e o buraco aumentando e, ficando uma verdadeira cratera na pista e em muitos lugares os veículos, assim como na BR-060, tem que passar na contramão, principalmente em lugares perigosos e de curvas, onde os motoristas ficam à mercê da sorte.

Na MS-384 o fluxo é grande assim como os prejuízos em razão ao novo método (sic) implantado pela empresa responsável pela conservação. Muitos poderiam colocar a culpa na chuva constante que caem na região, mas podemos comprovar que não é nada disso, pois, em dias de sol a empresa não volta mais para refazer o reparo, a qual deixou de fazer. E com isso a única certeza fica, que não dá para escapar dos buracos. A indignação e o tom de cobrança por providências efetivas marcaram os comentários de todos que ali transitam, tanto na BR-060 em que o DNIT é responsável, quanto a MS-384, em que o Governo Estadual é responsável. Muitas perdas estão ocorrendo e solução que é bom ainda são aguardadas, principalmente por parte do DNIT, onde é maior a malha viária, já que na BR-060 eles brincam em DAR SEGURANÇA aos motoristas e os mesmos acreditam que isso é verdade. Ficaremos vendo esses desmandos até quando?

EM TEMPO: Muitos comentam que para o DNIT a BR-060 trecho Bela Vista (MS) – Jardim (MS), no papel, tudo já está recapeado. Seria verdade isso? Com a palavra quem é de direito.

 

Texto: João Carlos Velázquez

Confira também

Com previsão de tempestade em Campo Grande, Marquinhos faz apelo: ‘fiquem em casa

O prefeito Marquinhos Trad fez um apelo para a população diante da previsão de fortes …