Auditoria no Vale Renda vai gerar economia de R$ 17,7 milhões por ano ao Governo do Estado

A partir da próxima sexta-feira (15), os beneficiários do Programa Vale Renda serão atendidos em novo endereço, em prédio ampliado e provido de acessibilidade, na Avenida Ernesto Geisel, 6.644, Cabreúva. A transição e adequação das novas instalações vêm acontecendo desde o mês de outubro com  abertura de processo de licitação para adaptação do espaço, bem como implantação de serviços de internet; telefonia; ar condicionado e reparos e suportes na estrutura física.

O Programa Vale Renda é administrado pela Superintendência de Benefícios Sociais da Secretaria de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast).  Desde o início da nova gestão no Governo do Estado em 2015, a secretária da pasta e também vice-governadora, Rose Modesto, iniciou processo de auditoria –  encerrado no fim do ano passado – para reavaliar os gastos do programa e foram encontrados 8.021 mil cadastros que não estavam no perfil de atendimento do programa.

“Iniciamos a auditoria assim que entramos no governo, cruzamos as informações e encontramos 8.021 mil cadastros de pessoas que não são o perfil do Vale Renda e portanto, foram desligadas. Isso vai gerar uma economia de R$ 17, 726 milhões por ano aos cofres do governo”, descreveu a vice-governadora e secretária, que completa: “a economia em 2015 já foi de R$ 1.363 milhões”.

Para estar no programa de benefício social do Governo do Estado é preciso que a renda per capita da família não ultrapasse meio salário mínimo. Também não pode estar cadastrada em outro programa social como o Bolsa Família (benefício do Governo Federal); situação encontrada na auditoria. “Até assumirmos o governo, não havia cruzamento de informações como o programa federal, o que agora acontece”, comparou.  O benefício é de R$ 170 reais mensais e o programa pode atender até 60 mil famílias em todo MS.

Rede Solidária

O Governo do Estado também inaugurou no ano passado o Programa Rede Solidária; com primeira unidade no Bairro Dom Antônio Barbosa, região mais vulnerável de Campo Grande. O programa tem como objetivo emancipar as famílias que recebem o Vale Renda bem como os moradores da região carente. As novas instalações da Superintendência de Benefício Social vão proporcionar fluidez  no trabalho com o Rede Solidária. “Havia pouco acesso de ônibus ao prédio em que está funcionando o Vale Renda atualmente. Agora, ganhamos até nisso, ponto mais central da cidade. Outra questão é acessibilidade para os beneficiários poderem entrar no prédio sem obstáculos. A nossa intenção é acompanhar essa pessoa, saber da vida dela, gerar oportunidade, torná-la cidadã em pleno exercício de direito”, destacou a vice-governadora e secretária.

No Rede, há cursos de formação profissional como padaria e modelagem, intercâmbio de vagas com a Fundação do Trabalho (Funtrab) e ainda cursos para crianças e adolescentes de artes, informática, entre outros. “Nós pretendemos, com o Rede Solidária, proporcionar às famílias carentes e que recebem o Vale Renda a oportunidade de capacitação e inserção no mercado de trabalho para que passem a gerar a própria renda e saiam da situação de vulnerabilidade”, pontuou.  Até 2018, mais unidades do Programa devem ser inauguradas no Estado.

Confira também

Termina dia 11 prazo de inscrição para concurso de procurador do Estado, com salário de R$ 25 mil

Termina no próximo dia 11 o prazo de inscrições para o concurso público para o …