Jardim é atingida por forte temporal no fim de semana

Durante o fim de semana Jardim foi surpreendido com um temporal de grandes consequências. Chuva de granizo (0,5 a 1cm) e fortes rajadas de vento (cerva de 90km/h) atingiram toda área urbana do município, causando danos a várias casas, derrubando galhos e árvores que atingiram fios da rede elétrica e da rede telefônica. Várias famílias tiveram parte do telhado ou o telhado inteiro de suas casas danificado pelo vento, ou por alguma árvore que tombou sobre o imóvel.

O prefeito municipal de Jardim, Dr. Erney Cunha Bazzano Barbosa, divulgou nota nas Redes Sociais e decretou estado de “Emergência e Calamidade Pública” tantos foram os danos e transtornos causados pela tempestade. Não houve sequer um bairro – talvez rua – que não houvesse sido atingido pelas consequências do temporal. O centro da cidade ficou repleto de galhos arrancados e arrastados pelo vento, árvores tombadas; nas Vilas CEAC, Panorama, Santa Tereza, Santa Luzia, Carolina várias casas tiveram seus telhados avariados; na Vila Brasil, o telhado do Lava Jato da rua Alcides de Oliveira Flores – próximo à lombada eletrônica – teve seu telhado arrancado inteiro pela força dos ventos e atirado sobre a parte dos fundos da residência do Sr. Rafael Nantes Vargas, que fica na rua Clemente Barbosa, Nº 1115. Pedaços de telhas e tijolos ainda atingiram – sem maiores danos – a residência da Sr.ª Aparecida Maria da Silva. Uma telha de zinco inteira – segundo o morador Sr. Francisco Gilvan Sanches Cavalheiro -, foi arremessada e cortou um galho da aguapombeira (Melicocus lepdoptalos) situada em frente de sua residência. “Por sorte não atingiu ninguém” – disse ele.

A secretaria de obras fez mutirão – auxiliada pelo Corpo de Bombeiros e a 4ª Cia Eng. Comb. Mec. – desde os primeiros instantes pós-temporal para prestar auxílio e socorro às famílias atingidas de modo mais contundente pela tragédia. Durante todo dia de sábado – 5 de dezembro – equipes de socorro e limpeza percorriam as ruas de toda a cidade levando telhas e lonas para as famílias atingidas, desobstruindo ruas interditadas por árvores caídas ou galhos, reparando trechos danificados pelas enxurradas.

Por conta do volume de chuvas o rio Miranda transbordou causando a interdição da Ponte Velha, que liga Jardim a Guia Lopes da Laguna. Equipes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros mantiveram plantão no local. Ainda em consequência do temporal, “houve queda de energia que comprometeu o funcionamento de captação e distribuição de água na sexta e no sábado; depois a cheia do rio prejudicou a captação e tratamento de água desde sábado” – disse o supervisor da unidade de Jardim da Sanesul, Daniel Carvalho. Este fato foi comunicado nas rádios da cidade, pedindo a compreensão e economia de água por parte da população. Ainda segundo Daniel Carvalho, “hoje(segunda-feira) já foi possível captar e encher um reservatório e distribuir para a cidade, mas como a rede estava vazia, seca, o nível do reservatório despencou”. O supervisor da unidade de Jardim da Sanesul avisa “que seria interessante que as pessoas economizassem água e evitassem o desperdício pois a captação e tratamento ainda estão comprometidos”.

Júlio Cesar Ferri, encarregado da Telemont, informou que “foram registrados 76 casos de danos a rede telefônica, muitos reparos já foram efetuados – quando em chuvas comuns são registrados de 20 a 30 casos, no máximo” – assegurou. O volume das chuvas voltou a danificar a estrada vicinal para o assentamento Recanto do Rio Miranda – nas imediações da fazenda Santa Clara – e também a ponte sobre o rio dos Velhos. Segundo Dival Willeman – secretário municipal de obras -, “já foi protocolado documento junto a Agesul, pois a ponte é de responsabilidade do Governo do Estado”. Para ele, “os danos causados as estradas vicinais foram de grande monta e demandam tempo e esforço para serem totalmente sanados”.

Confira também

Novos aspectos da Rota Bioceânica serão discutidos em Live

Nesta sexta-feira (24), a partir das 19h (horário de MS), o projeto UEMS na Rota …