Comércio de Dourados sofre rígida fiscalização sindical

Sindicato quer evitar problemas como exploração de jornada excessiva ou sem remuneração
O comércio de Dourados está sofrendo rígida fiscalização do Secod (Sindicato dos Empregados no Comércio de Dourados), que quer evitar problemas como exploração de jornada excessiva ou sem remuneração. Diretores do sindicato estão percorrendo o comércio, principalmente à noite, acompanhando inclusive o fechamento tanto do shopping Center como do comércio central e periferia da cidade. “Temos recebido denúncias de funcionários dizendo que alguns acabam ficando muito tempo depois do fechamento do comércio, no próprio estabelecimento, fazendo serviços internos quando deveriam ser liberados para o descanso”, afirma Pedro Lima, presidente do Secod. Diante de casos dessa natureza, o Secod entra em ação e se reúne imediatamente com a direção da empresa para contornar a situação.
Em caso de descumprimento, segundo Lima, a entidade pode entrar com ação de descumprimento de Convenção Coletiva de Trabalho – CCT, onde está firmado o acordo para funcionamento em horário especial de Natal para este ano. Pedro Lima, que preside também a Federação dos Trabalhadores no Comércio e Serviços de Mato Grosso do Sul – Fetracom, orientou lideranças sindicais dos comerciários de todo o Estado para que façam o mesmo, para que fiscalizem o funcionamento do comércio no horário especial de Natal, para que os direitos dos trabalhadores não sejam lesados.

Confira também

Turma de Química da UEMS de Dourados abre “garrafa do tempo” 10 anos depois

A coordenação do curso de Química (licenciatura) da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul …