Chuvas desabrigam 57 famílias e Exército ajuda no socorro às vítimas

Com a ajuda do Exército e da PMA (Polícia Militar Ambiental), a Defesa Civil dá apoio a 15 famílias desabrigadas, que perderam tudo com a chuva e outras 42, que estão em casa de parentes, em Bela Vista, a 322 quilômetros de Campo Grande. A preocupação é com a previsão de mais chuva para os próximos dias, que pode fazer com que o Rio Apa continue subindo.

Com a chuva forte do último sábado (5), ficaram destruídas duas pontes, segundo a Defesa Civil. Uma delas, ficava na região do Bairro Dama Kue, que dá acesso para a Aldeia Pirakua e a outra ligava a cidade ao povoado Alto Sapucai e ao assentamento Barra do Ita. Além disso, outras quatro pontes do município ficaram danificadas.

Com a subida do Rio Apa, foram alagadas as residências dos bairros Baixada Corintiana, Baixada Fluminense e Praia do Pompilho. As equipes de apoio continuam percorrendo a cidade para levantar os estragos, segundo a coordenadora da Defesa Civil no município, Alice Aranda.

“Estamos dando todo apoio às famílias e visitando para ver a situação das casas, pois algumas terão que ser interditadas, porque correm risco de desabamento. Na maioria, a água não baixou ainda. Hoje choveu pouco, agora está nublado e o que preocupa é que tem previsão de chuva para amanhã”, comentou Alice. Com o levantamento, os dados serão repassados a prefeitura que deve decretar situação de emergência.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), as pancadas de chuva voltam na quinta-feira (10) e na sexta-feira (11) o céu terá muitas nuvens com chuvisco, em Bela Vista.

Prejuízos – Equipe da Defesa Civil do Estado que estava em Bela Vista segue hoje para Jardim, onde cerca de 200 residências foram destelhadas pelo temporal no fim de semana. Os ventos de 95 km/h ainda danificaram 180 árvores. A prefeitura está trabalhando para ajudar a população a consertar as casas, com a distribuição de telhas e lonas. Empresários da cidade também ajudaram com a doação de colchões para famílias. Três pontes foram danificadas, além de estradas vicinais que ligam a cidade aos assentamentos.

Em Mato Grosso do Sul, já são 14 cidades em situação de emergência, devido aos estragos causados pelas fortes chuvas das últimas semanas. Acompanhado dos secretários Sérgio de Paula (Casa Civil) e Marcelo Migliori (Infraestrutura), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) sobrevoou as áreas mais afetadas na região de fronteira com o Paraguai e disse que o cenário é de destruição. Ele estima em R$ 30 milhões o volume de recursos necessários para construção de pontes de concreto em substituição às estruturas de madeiras destruídas.

Confira também

Dourados inicia as etapas de planejamento e elaboração do Plano Plurianual

Em reunião realizada nesta quarta-feira (28), com servidores municipais, a Prefeitura de Dourados deu início …