Casa do Pantanal está em condições de abandono

Em novembro, governo estadual anunciou ter assumido local para reformar e reabrir
A Casa do Pantanal, no Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande, foi projetada para ser uma referência de preservação cultural e histórica sul-mato-grossense. Porém, atualmente, é apenas mais um órgão público com ares de abandono. Do lado de fora, há água parada nos espelhos d´água ao redor do imóvel. Dentro, há luzes acesas, embora ninguém esteja usando, pois, o local está fechado. O imóvel foi construído pela Fundação Manoel de Barros, com recursos federais, em 2005. Em novembro passado, a Secretaria de Estado de Cultura, Turismo, Empreendedorismo e Inovação (Sectei) anunciou ter assumido o local e prometeu reformas para reabrir a casa ao público em maio de 2016. As obras ainda não começaram.
Na tarde de ontem, 21 de dezembro, uma torneira aberta jorrava água sem parar inundando o gramado. Há anos, o local tem sido constantemente atacado por vândalos que picham as paredes, deixando, inclusive, recados ameaçadores para a polícia.  Na data da posse do local, em 26 de novembro, a Sectei anunciou que pretendia implementar um novo projeto que não se distanciaria do original. A ideia era tornar o espaço mais versátil, porém, sem tirar a rusticidade original. A Casa deverá se tornar um lugar permanente de exposição de objetos e de imagens relevantes para a criação de um acervo da memória social, cultural, política e econômica do Pantanal. O governo pretende implementar ainda ferramentas tecnológicas para uso dos visitantes. O local também deverá se tornar endereço de oficinas de arte e educação ambiental.

Confira também

‘Não existe carne de segunda’, afirma especialista que virá para o Festival da Carne em MS

Especialista em carne, Marcelo Bolinha garante: “Em boi de primeira, não existe carne de segunda”. …