Zeca responde alfinetada: ‘Bernal que voltou é pior do que o que foi cassado’

“O Bernal que voltou é pior do que o que foi cassado”, declarou o ex-governador e deputado federal Zeca do PT ao ser questionado sobre a alfinetada do prefeito de Campo Grande. No sábado (14), ao reafirmar que o Partido Progresista terá candidatura Alcides Bernal (PP) disse que espera ver nomes como os dos ex-governadores do Estado André Puccinelli (PMDB) e Zeca do PT e ‘os Trad’ também na disputa pelo cargo de prefeito ano que vem.

“Quero ver para gente poder discutir Campo Grande em alto nível e comparar. Teve gente que ficou por oito anos como prefeito e não conseguiu fazer o a população gostaria que fosse feito”, alfinetou Bernal.

“Assustadora realidade”

Para Zeca, a alfinetada é uma “papagaiada” do Bernal. “É mais uma tentativa de conseguir espaço na mídia nesse período todo de incapacidade administrativa e inexperiência do prefeito”. O ex-governador disse ainda que o povo de Campo Grande nunca esteve tão descontente. “Não sou eu, o povo está me dizendo que nunca viu tamanha assustadora realidade”.

Depois de declarar que o Bernal que voltou ao cargo é pior que o que foi cassado, o petista comentou o apoio que foi dado ao progressista durante a cassação. “Ele sabe da contribuição que demos para ele, na defesa da democracia contra o golpe. Achei que ele pudesse ter aprendido com aquilo. O Bernal tem a mania de achar que é o dono absoluto da verdade, governa sozinho e deixa a cidade abandonada”.

Eventual aliança entre PP e PT, no ano que vem, foi cogitada na época em que Alcides Bernal reassumiu a Prefeitura de Campo Grande, em agosto, com uma aliança com o PT sendo vice na chapa de Bernal.

O Partido dos Trabalhadores, no entanto, alegou que optou por candidatura própria em virtude ‘das conversas com o PP não terem progredido’. A escolha de Zeca, de acordo com a executiva estadual do partido, foi pela ‘experiência’ do deputado.

 

 

Fonte: Midiamax

Confira também

Ameaça de Ministro sobre eleições causa reação

A declaração do ministro da Defesa, general Walter Braga Netto, sobre a realização das eleições de …