Campanha estimula servidores e professores a doar

Campanha segue de 16 a 20 de novembro
Lançada na manhã desta segunda-feira (16), a campanha ‘Semed Sangue Bom’ quer estimular a doação de sangue e cadastro para doador de medula óssea para servidores e professores do município. O projeto “Sangue Bom” foi criado pelo professor Carlos Alberto Rezende, Professor Carlão, que diante as dificuldades pessoais decidiu lutar em prol da causa, e que agora recebe o apoio da Secretaria Municipal de Educação.
O Hemosul espera aumentar o número de doações neste período de campanha, que segue até 20 de novembro. Presente no lançamento da campanha, a secretária da Semed, Leila Cardoso Machado, afirmou que a campanha é um gesto de amor e visa fomentar o gesto de doar. “É um gesto de amor, para estimular à dação de sangue e o cadastro para medula. Todos podem vir até o Hemosul e contribuir, salvando a vida de outra pessoa”, afirma Leila. Para doar, é necessário ter em mãos os documentos pessoais para realizar um cadastro. Depois o doador passa por triagem pelo qual é verificada a pressão arterial, peso, altura e um exame de anemia é feito. É realizada também uma entrevista com o profissional de saúde, que averigua as condições de saúde do doador. Em seguida, o doador assina um “Termo de Responsabilidade”. A coleta dura em média de dez minutos, e a quantidade coletada é de 450ml. No caso do cadastro no banco de medula, são retirados 5ml de sangue, como um exame de laboratório, e o doador é cadastrado no Registro Brasileiro de Doadores Voluntários de Medula Óssea – REDOME do Instituto Nacional do Câncer – INCA. Os dados genéticos do doador são cruzados com os dos pacientes que precisam da medula, se houver compatibilidade genética, a doação pode ser realizada. Porém, para ter compatibilidade, a chance no Brasil é de uma em cem mil, e com alguém de outro país, de uma em um milhão.
Quem pode doar Os doadores precisam ter entre 16 e 69 anos, segundo a nova lei da doação de sangue, aprovada em 2013. Há uma ressalva para quem tem 16 e 17 anos, o menor de idade tem que estar acompanhado de pai ou mãe ou responsável legal, ou portando declaração do responsável legal com reconhecimento de firma da assinatura. Também é importante lembrar que, a primeira doação, somente pode ser feita até 60 anos. Acima desta idade, apenas para quem já é doador de sangue. Para doadores de medula, deve-se ter de 18 a 55 anos. Peso: Embora a nova lei permita a doação de pessoas abaixo de 50 Kg, a Hemorrede-MS reserva-se o direito de aceitar apenas doadores com 55 kg ou mais, para a melhor utilização do sangue coletado e segurança do doador. Intervalo de doação: homens podem doar até quatro vezes ao ano com um intervalo mínimo de dois meses. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com um intervalo mínimo de três meses. Após os 60 anos tanto homens como mulheres devem obedecer o intervalo mínimo de seis meses.
Doenças que impedem a doação: doenças hematológicas, cardíacas, renais, pulmonares, hepáticas, autoimunes, diabetes, hipertireoidismo, hanseníase, tuberculose, câncer, sangramentos anormais, convulsões, ou portadores de doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue como Doença de Chagas, Hepatite, AIDS, Sífilis. Se estiver com gripe ou alergia deve esperar sete dias após sarar para doar sangue. Medicamentos: alguns medicamentos impedem a doação. Portanto fale para o profissional de saúde que for lhe entrevistar os remédios que está utilizando. Vacinas: As vacinas impedem temporariamente a sua doação. Por isso, aproveite para doar sangue antes de tomar a dose de vacina. Alimentação: Não esqueça: você deve estar BEM ALIMENTADO para doar sangue. Como muitos pensam não se pode doar sangue em jejum. É diferente de quando vamos fazer exames laboratoriais de sangue, para os quais o jejum é recomendado. Mas você pode evitar alimentos com excesso de gordura quando vier doar sangue. É recomendado que se alimente bem, porém, de forma saudável. Ambas doações podem ser feitas no Hemosul, das 8h às 17h, na Avenida Fernando Côrrea da Costa, 1.304.
Fonte: Diariodigital

Confira também

Precisa de ajuda? Grupos de apoio que reúnem voluntários salvam vidas em Campo Grande

Por vezes um sentimento represado que é posto para fora é o que separa a …