Bombardeios da França na Síria mataram 33 membros do EI em 3 dias

Pelo menos 33 membros do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) morreram nos últimos três dias em bombardeios de aviões franceses sobre a cidade de Raqqa, na Síria, principal reduto dos jihadistas. A informação foi divulgada nesta quarta-feira pelo Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

A França intensificou os ataques a essa região da Síria depois dos atentados em Paris deixarem 129 pessoas mortas na noite de sexta-feira. Os atos terroristas foram reivindicados pelo EI. Nesta segunda-feira, o presidente francês, François Hollande, afirmou que o seu país “está em guerra” e pediu que parlamentares e população reajam com “sangue-frio” ao terrorismo.

Nos últimos dias, também foram registradas mortes decorrentes de bombardeios realizados por outros países além da França, mas a OSDH não confirmou a origem desses ataques. Porém, a Rússia anunciou nesta terça-feira que havia aumentado os ataques aéreos contra as posições dos extremistas em território sírio.

Por outro lado, o Observatório apontou que muitos jihadistas do EI e suas famílias estão se deslocando da cidade de Raqqa para Mossul, principal reduto dos radicais no Iraque, por considerar a região mais segura.

 

 

 

(Com agência EFE)

 

Confira também

Onda de calor: ‘Terra do Papai Noel’ tem dia mais quente em mais de um século

Em meio a ondas de calor no verão do hemisfério norte, a região da Lapônia, …