Olarte e Amorim estão foragidos e podem ser presos por qualquer policial na rua

O prefeito afastado de Campo Grande, Gilmar Olarte, e o empreiteiro dono da Proteco Construções Ltda. João Alberto Krampe Amorim dos Santos, já são considerados foragidos e podem ser presos a qualquer momento por policiais que os encontrarem na rua.

A explicação é do advogado constitucionalista André Borges. “A partir do momento em que os dois não foram localizados, constam como foragidos. Caso algum policial os localize na rua, pode se identificar como tal e dar voz de prisão, inclusive levando-os para serem detidos”.

O desembargador Luiz Claudio Bonassini da Silva decretou a prisão de ambos nesta quinta-feira (1º). Um oficial de Justiça, acompanhado da Polícia Militar, foi à casa dos dois, que não foram encontrados. “Agora, o oficial deve procurá-los nas casas de parentes e amigos, até se esgotarem as chances de localização”.

Além da prisão, o Gaeco ainda solicitou afastamento de 17 vereadores: Carla Stephanini , Edil Albuquerque , Paulo Siufi, Vanderlei Cabeludo, todos do PMDB, Eduardo Romero, Otávio Trad e Flávio César, do PTdoB, Delei Pinheiro, Chiquinho Telles e Coringa, do PSD, Gilmar da Cruz (PRB), Edson Shimabukuro (PTB), Jamal Salem (PR), Waldecy Chocolate (PP), Airton Saraiva (DEM), João Rocha (PSDB) e Carlos Borges (PSB).

Em 2013, 23 vereadores votaram a favor da cassação de Alcides Bernal, mas 6 não estão mais no cargo. Mario Cesar (PMDB) já está afastado, Alceu Bueno renunciou ao mandato, Juliana Zorzo (PSC) voltou a suplência, Elizeu Dionizio (PSDB) foi eleito deputado federal e Grazielle Machado (PR) deputada estadual.

O Gaeco continua as investigações para apurar suposta operação para cassar Alcides Bernal. No momento, além de aguardar a prisão e os afastamentos, o Gaeco analisa contas bancárias e espera perícia nos 17 celulares apreendidos.

Confira também

Deputados cobram redução do ICMS da gasolina

Em meio ao aumento de críticas quanto ao preço do combustível praticado em Mato Grosso …