Hospital São Vicente de Paulo alugou Clube e serviço de Buffet no valor de 7.500 mil entre outros.

A Direção do Hospital São Vicente de Paulo de Bela Vista, gastou na administração do prefeito afastado Renato de Souza Rosa, em setembro do ano passado, R$ 7.500 de verbas destinadas ao Sistema Único de Saúde (SUS) para contratar uma empresa de Buffet. As informações foram enviadas a câmara municipal pelo Conselho Municipal de Saúde.

A denuncia foi feita pelo vereador Dr. Johnys Hémory Basso (DEM) na ultima sessão ordinária dia (19). De acordo com a documentação, o valor foi utilizado na aquisição de “Buffet”, onde o pagamento foi feito em dinheiro ao proprietário da empresa de prestação de serviços.

De acordo com o vereador, o que mais estranha e que nenhum funcionário participou da festa, não foram convidados. “Para quem fizeram essa festa, essa e minha maior preocupação, onde foi parar o dinheiro gasto com esse serviço, e muito estranho. E o dinheiro? Ficava pra quem? “Essa festa não aconteceu, não teve despesas”, questionou o vereador

O vereador Dr. Johnys ainda falou de gasto feito em maio do ano passado de R$ 5.905,00 no aluguel de 19 Tendas, 25 Caixas Térmicas e 215 Jogos de Mesas, pagos em dinheiro pela diretora do Hospital. Onde o Próprio prestador de serviços Senhor Rodrigo Garcia Calisto quando questionado na CPI declarou que essa nota ele não emitiu para o hospital, nem se quer preencheu, muito menos recebeu o valor, e sim entregou a nota em branco ao senhor “Jará” a pedido do prefeito afastado Renato de Souza Rosa para acertar os gastos do camarote do executivo no valor de mais ou menos R$ 5.200,00, gastos estes de consumo de bebidas como: cerveja, refrigerante, água mineral com gás e ate Uísque, onde familiares do prefeito afastado e correligionários desfrutaram por conta do erário público. Como o prestador de serviço não preencheu a nota fiscal, o vereador disse “quero saber quem preencheu este documento fiscal e quem recebeu o montante”.

Também fez outras denuncias como: Gastos em oficina mecânica pagas em dinheiro sem nota fiscal, somente com orçamento na mecânica Chec-Car no valor de R$ 23.288,95 e na mecânica Irmãos Portilho o valor de R$ 11.800,00, sendo que o Hospital não possui veículos no seu patrimônio. Aluguel de VAN com 12 passageiros no valor de R$ 5.919,20, sendo que a unidade hospitalar não faz serviço de ambulatório.

Johnys disse ainda que a diretora e o prefeito afastado trouxeram uma empresa da capital só para trocar encanamento da rede de esgoto sanitário, pagando o montante de R$ 2.745,45, também em dinheiro, sendo que a secretaria de obras e o SAAE tem mão de obras pra isso. Pagamento de diárias de pensão na capital no valor de R$ 7.920,00, onde os pacientes hospitalizados ficam em unidade hospitalar de referencia na capital e nosso hospital não faz serviço de ambulatório, alegou o vereador.

A ultima festa realizada para os funcionários, foi quando eu era secretario. “Fizemos uma comemoração porque as metas na época foram alcançadas. Fizemos a festa para a ‘valorização dos servidores’. E foi o que fizemos, foi a ultima”, questionou o vereador.

Por isso o hospital vive em situação precária, denúncias sobre falta de pagamento de médicos, falta de remédios, salários de funcionários atrasados, mas para fazer festa “Fantasma’ dinheiro existe, disse Johnys.

O hospital São Vicente de Paulo recebeu no ano de 2014b mais R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais), só da subvenção social de obrigação do executivo, fora outros convênios como; SUS, incentivo estadual, particulares, planos de saúde, FUNASA e outros, onde foi parar esse dinheiro repassado que seria para ser utilizado em despesas com a unidade de saúde de Bela Vista, questiona o vereador Johnys.

 

E preciso se tomar uma atitude a respeito dessa farra que acontecia no hospital comentou o vereador. “Eles poderão ser punidos tanto na esfera civil como na esfera criminal. Na esfera civil, por ato de improbidade administrativa e na esfera criminal porque isso pode caracterizar crime de peculato”, disse Johnys.

“O que é de estarrecer é justamente essa sede, essa vontade de ir em cima de recursos, de verbas vindas da sociedade, do povo, por pessoas inescrupulosas no ambiente do patrimônio público” disse Johnys.

 

Confira também

Psicóloga jardinense lança livro e fala através das crônicas sobre processo de autoconhecimento

Uma noite magistral e emocionante. Assim foi o lançamento do primeiro livro da psicóloga Cleonice …