12ª Etapa da Festa de Laço acontece em Maracaju de 20 a 22 de novembro

O Sindicato Rural de Maracaju realizará de 20 a 22 de novembro na pista de laço do Clube ACATAMA, a 12ª edição do Tradicional Encontro do Laço Comprido. Será a ultima etapa do Grupo A, que reuni grandes laçadores do estado do Mato Grosso do Sul.

De acordo com o patrão do Clube de Laço Acatama, Renato Bueno, o evento trará os melhores laçadores da região e promete ser uma etapa emocionante, “convidamos toda a população para prestigiar o evento, a entrada será gratuita e será uma etapa emocionante”, disse Renato.

Além das laçadas, o evento também terá em sua grade de programação o tradicional baile Cara pé com a animação de Originais de Maracaju.

História do Laço Comprido como esporte no Mato Grosso do Sul.

A colonização do antigo Mato Grosso teve por base o triângulo homem, boi e cavalo. Don Alvar Nunes Cabeça de Vaca adquiriu uma manada de 1000 cabeças de gado vacum, alguns touros e umas dezenas de animais cavalares em São Vicente, em 1767, na Província de São Paulo, onde  todos eles passaram pelo interior do Brasil até chegar a Assunção .

Na região foram encontradas sementes do gado Baguá e dos Cavalos Chimarrões.  Bandeirantes e Mamelucos também andaram por aquelas terras caçando e capturando índios para levar como escravos para suas respectivas lavouras de café e cana de açúcar.

Os primeiros Mineiros chegaram ao Mato Grosso por volta de 1842, encontrando gado por lá. As Forças Brasileiras também cruzaram esse campo de vacarias em 1865. E, nessa mesma guerra, dos ataques dos soldados paraguaios, durante a Retirada da Laguna, certamente também se extraviaram alguns cavalos nessa região.

De lá pra cá, a pecuária não parou mais de se desenvolver.  Tornamo-nos o primeiro rebanho do Brasil. Homens campeiros que iniciaram a colonização do MT. Por isso, podemos dizer hoje que eles são o sustentáculo da economia do Estado. E esses homens são os responsáveis pelos Clubes de Laço da Federação de Clubes de Laço do MS.

Graças às magníficas pastagens naturais, o gado vacum e cavalar desenvolveu-se muito bem e, em poucas décadas, já existiam manadas baguais em todos os recantos, principalmente no Pantanal.

Confira também

Governador repassa recursos para habitação de Campo Grande

Nesta segunda-feira (26), o governador Reinaldo Azambuja se reúne com o prefeito de Campo Grande, …