Solurb diz que Olarte deixou 3 meses de atraso e trabalhadores param coleta do lixo

Trabalhadores estão parados desde a noite de terça

Os trabalhadores da coleta de lixo de Campo Grande vão manter as atividades paralisadas até que o salário de agosto seja depositado. A informação é do presidente do Steac-MS (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação de Mato Grosso do Sul), Wilson Gomes da Costa. O pagamento deveria ter sido efetuado até as 17 horas da terça-feira (8).

De acordo com Costa, houve assembleias na noite da terça e na manhã desta quarta-feira (9). A categoria decidiu pela paralisação e que “absolutamente nada vai funcionar e vai aguardar o depósito do pagamento”.

Caso o pagamento seja realizado, a categoria vai novamente se reunir e verificar se todos os funcionários receberam para poder voltar ao trabalho. “Vamos procurar um entendimento e ver se todos receberam: varrição, coleta, administrativo e aterro. Não queremos que pague uma parte, queremos que pague tudo”, diz o presidente do sindicato.

O sindicato diz não ter sido procurado nem pela Prefeitura, nem pela Solurb para um posição sobre o pagamento. “Ninguém procurou o sindicato. Ninguém falou nada. Estamos à mercê do que eles falarem”, diz o presidente. A empresa tem 1.080 trabalhadores.

Solurb

A Solurb informou por meio de nota que a Prefeitura de Campo Grande tem três faturas em aberto, totalizando R$ 23,7 milhões , além de reajustamentos que estão atrasados há mais de 14 meses. O contrato inclui a coleta de lixo e outros 13 serviços (incluindo varrição, roçagem, capina). O custo mensal  varia conforme o volume de serviço executado, cada qual com sua unidade de medida (tonelada, metro quadrado, quilômetro, quilograma, unidade).

A CG Solurb reiterou que a quitação dos salários dos funcionários e fornecedores depende exclusivamente do pagamento da Prefeitura de Campo Grande das faturas em atraso.

Na manhã desta quarta, a assessoria de imprensa da empresa informou que ainda não havia novas informações.

Segunda ‘greve’

No dia 3 deste mês, os funcionários da Solurb já haviam paralisado as atividades. O motivo foi o não pagamento do vale-alimentação, que geralmente era pago no dia 1° do mês. A Solurb informou que o motivo era a falta de repasse da Prefeitura.

Leia a nota da Solurb na íntegra

A CG Solurb está preocupada em manter em dia suas obrigações com os funcionários e fornecedores, mas os constantes atrasos de pagamento pela Prefeitura Municipal de Campo Grande afetaram acentuadamente as finanças da empresa, impossibilitando inclusive o pagamento dos salários dos colaboradores referente ao mês de agosto de 2015. Esses atrasos deflagraram a paralisação dos funcionários na noite da terça-feira (08).

A CG Solurb é uma SPE – Sociedade de Propósito Específico, que visa atender o município de Campo Grande. Dessa forma, os constantes atrasos nos pagamentos dos serviços impossibilitam a quitação dos débitos.

A empresa reafirma o propósito de manter em dia suas obrigações, pois os serviços prestados são essenciais.  Reconhece ainda, que a impossibilidade de quitar os débitos pode ocasionar transtornos à população campo-grandense.

A Prefeitura de Campo Grande tem três faturas em aberto, totalizando R$ 23,7 milhões  de reais, além de reajustamentos que estão atrasados há mais de 14 meses. O contrato inclui a coleta de lixo e outros 13 serviços (incluindo varrição, roçagem, capina). O custo mensal  varia conforme o volume de serviço executado, cada qual com sua unidade de medida (tonelada, metro quadrado, quilômetro, quilograma, unidade).

A CG Solurb reitera que a quitação dos salários dos funcionários e fornecedores depende exclusivamente do pagamento da Prefeitura de Campo Grande das faturas em atraso.

Confira também

Pizzaria é autuada por funcionar com mais de 40% da capacidade em Campo Grande

Pizzaria localizada na Vila Célia, em Campo Grande, foi autuada na noite desta sexta-feira (8) …