Produtos da terra já abastecem alimentação escolar em Porto Murtinho

A Prefeitura Municipal de Porto Murtinho pretende expandir a participação de cooperativas, associações e produtores no abastecimento de gêneros hortifrutigranjeiros na merenda escolar, conforme a Lei nº 11.947, de 16 de junho de 2009, determina que no mínimo 30% do valor repassado a estados, municípios e Distrito Federal pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para o Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae) devem ser utilizados obrigatoriamente na compra de gêneros alimentícios provenientes da agricultura familiar. E para isso, reuniu representantes de todas as áreas da agricultura familiar com o cumprimento de mais um compromisso assumido com a população e o fortalecimento da agricultura familiar. Foram com estes sentimentos que o prefeito Heitor Miranda entregou hoje dia (31) de agosto de 2015, aos alunos e professores das Escolas, gêneros alimentícios produzidos em Porto Murtinho. Pela segunda vez a agricultura familiar em nossa cidade começa a fornecer hortifrúti e em breve estará fornecendo frango caipira para merenda escolar, escolas municipais receberam as primeiras produções hoje pela manhã.

Participaram do encontro representando a AGRAER (Coordenadoria de Assistência Técnica Integral), Egidia Medina Ruiz; Rosana Farias Gimenes nutricionista da Prefeitura, a secretária de Educação Ana Paula, o vereador Ailton Sanches, O secretário de Infraestrutura Gilmar Pereira, secretário municipal de governo André Luiz Matos, O sr Walber Noleto e demais autoridades.

O encontro teve como objetivo discutir estratégias para que a compra da merenda escolar do município seja feita entre os agricultores locais, beneficiando assim, várias famílias. A legislação atual prevê a obrigatoriedade do município em investir 30% do recurso recebido via repasse do FNDE em gêneros alimentícios oriundos da agricultura familiar.

Para produtor Rural o S.r. Luciano da Colônia Bocaiuval, que produz mais de 2.000 pés de alface e entrega cerca de 200 pés e 120 quilos de tomate por semana para a merenda escolar no município. Entre sua produção estão incluída a plantação de banana, mandioca e outras hortaliças. Com essa forma de produção o valor para distribuição se mantém, inalterável garantindo sempre o mesmo valor durante sua distribuição.

Há alguns anos anteriores não existia uma agricultura familiar na região após o incentivo da prefeitura hoje existem aproximadamente 20 produtores, a prefeitura ajuda a gradear a terra, na construção de açudes, distribuição de semente por fim na compra do produto final. O município hoje atinge 22% no consumo das produções que saem diretamente da Colônia Bocaiuval para a merenda nas escolas.

Para a Coordenadora de Assistência Técnica Integral Egídia, “é importante que cada produtor organize um plano de negócios, sabendo o que plantar, quando plantar, e como e quando colher. Ela ainda ressalta que, se cada um fizer a sua parte, em menos de um ano, todos estarão comercializando com os entes públicos, quitandas, e mercados da região. Hoje Porto Murtinho cumpre as normas referentes à merenda escolar estabelecidas na lei. Entende ainda que havendo planejamento esse dinheiro poderá ser para os produtores locais, lembrando que, a partir do momento que se assume o compromisso este passa a ter que cumpri-lo, com muito trabalho e organização e qualidade”.

“Esse é mais um grande passo para que Murtinho possa melhorar a qualidade da alimentação nas escolas. Quando assumimos a gestão, decidimos pela implantação da agricultura familiar na merenda. Sentamos com os parceiros (Agraer), e a Fundação MS e o SEBRAE, que foram grandes incentivadores e nos chamou para mostrar como isso poderia acontecer e, a partir daí, iniciamos a capacitação da nossa equipe. Buscamos consultoria porque é um procedimento novo e acontece pela primeira vez em Porto Murtinho, e agora estamos em mais um dia histórico”, afirmou o gestor local.

Confira também

Ministério repassa R$ 450 mil para criação de núcleo de atendimento à mulher em duas cidades de MS

O MMFDH (Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos) firmou convênio com a Segov-MS (Secretaria de …