Meta é garantir a classificação funcional de todos os atletas antes dos Jogos Paralímpicos

Vista por muitos como uma fronteira entre a possibilidade de ser protagonista ou coadjuvante no esporte paraolímpico, a classificação funcional é uma ferramenta indispensável para estabelecer um padrão mínimo de igualdade de condições entre os competidores. Como existem diversos tipos de deficiência, especialistas estabelecem critérios médicos e técnicos a partir dos quais determinam quem mede forças com quem.

Para evitar surpresas e mudanças no planejamento das delegações pouco antes das disputas dos Jogos Rio 2016, o Comitê Paralímpico Internacional (IPC na sigla em inglês) pretende estabelecer a categoria de todos antes de 7 de setembro de 2016, data da abertura do evento. “A ideia é fazer com que todos os atletas passem pelos processos de classificação nas grandes competições do calendário internacional das 23 modalidades e cheguem ao Rio com status permanente. Cada mudança impacta na questão esportiva, no balizamento e até na viabilidade de uma ou outra prova. Essa é a intenção do IPC, que já funcionou de forma razoável em Londres 2012”, afirmou Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB).

A iniciativa é importante para evitar que situações como a vivida pelo nadador brasileiro Clodoaldo Silva, em Pequim 2008, se repitam. Ele era da classe S4 e foi reclassificado para a S5 às vésperas de cair na piscina. Diante de adversários com mais mobilidade, saiu dos seis ouros e uma prata em Atenas 2004 para uma prata e um bronze em 2008.

“A classificação funcional é complexa, principalmente na natação. Temos várias deficiências na mesma categoria. A cada dia estão estudando mais e conseguem coletar dados para classificações justas. Na medida em que se conhece mais a fisiologia dos atletas e as deficiências, essa questão ainda pode mudar”, afirma o atleta, que tem mobilidade reduzida nas pernas em função de uma paralisia cerebral.

No paradesporto, quanto maior a deficiência, menor o número da classe. Na natação, a letra “S” indica swimming (em inglês) e, além disso, o nadador pode ter classificações diferentes para o estilo peito (SB) e medley (SM). A modalidade chega a ter 14 categorias.

Confira também

Análise: São Paulo volta a jogar no limite e revive momentos da pior fase na temporada

Quando o São Paulo viveu seu pior momento na temporada, com pressão devido às eliminações precoces no …