Indígenas pedirão demarcações e Justiça a ministro

Indígenas de várias localidades do Estado já estão em frente à Governadoria. Eles aguardam para serem recebidos pelo Ministro da Justiça José Eduardo  Cardozo que está em Campo Grande para tratar dos conflitos por terras em Mato Grosso do Sul. Eles colocaram várias cruzes brancas com o nome de Simeão Vilhalva, morto durante retomada de uma propriedade rural por fazendeiros, em Antônio João, no sábado passado. A autoria do crime e as circunstâncias ainda não foram esclarecidas. Conforme o presidente do Conselho Municipal dos Direitos Indígenas, Sander Barbosa, Simeão é o mais novo símbolo da luta indígena por Justiça. Segundo ele, de 1983 para cá ao menos 50 líderes indígenas já teriam perdido a vida em razão dos conflitos por terras. “Os crimes são acobertados como se fossem outro tipo de assassinato e aí não se resolvem. Não há Justiça” afirma. Além de cobrar esclarecimentos e punições para os crimes contra indígenas, as lideranças pedirão ainda aceleração no processo de demarcação de terras, e defenderão a PEC 71 que prevê indenização aos ruralistas pelas áreas retomadas para os índios. Um documento com todas as reivindicações deverá ser entregue ao ministro.

 

Fonte: Diariodigital

Confira também

Governador determina distribuição imediata das novas doses da vacina

A boa notícia do final de semana é que chegou na Capital, neste domingo, dia …