Greve esvazia leilão de luxo da Justiça Federal em MS

Será realizado nesta sexta-feira, 11 de setembro, no auditório da Justiça Federal de Campo Grande, o leilão de veículos e imóveis de luxo apreendidos de traficantes após processo judicial. A quantidade de bens oferecidos, no entanto, é bem menor do que o Judiciário gostaria. A greve dos servidores da Justiça Federal que já dura três meses diminuiu a oferta de lotes. Os trabalhadores cobram melhorias salariais negadas pela presidente da República Dilma Rousseff que vetou projeto de lei que aumentava os salários da categoria. “A greve atrapalhou principalmente a confecção dos editais”, detalha a leiloeira Maria Fixer. Assim serão oferecidos amanhã 15 lotes, quando o Judiciário desejava vender mais de 30. Um dos bens mais valiosos do leilão, um sobrado localizado no Jardim Autonomista, área nobre de Campo Grande, deverá ser retirado do leilão, segundo informações de servidores da Justiça Federal. O imóvel que tem churrasqueira e piscina chegou a ser divulgado na lista de lotes do leilão, mas deverá ser retirado. Neste caso, não foi informado se a greve atrapalhou, mas é provável que algum procedimento burocrático não executado tenha impedido a venda do bem. A residência é avaliada em R$ 750 mil e teria lance inicial de R$ 562 mil. Outra casa de alto padrão que está à venda e permanece no leilão é uma residência com piscina, no Jardim Aeroporto, em Ponta Porã. O valor do imóvel é R$ 280 mil com lance iniciar de R$ 210 mil.  Da mesma cidade, está sendo oferecido um apartamento no Edifício Jacob Jorge, avaliado em R$ 250 mil e com lance mínimo de 187,5 mil. Há ainda carros de luxo como um Kia Cadenza, EX 3.5, ano 2011, avaliado em R$ 50 mil, mas com lance mínimo de R$ 37 mil. Também está disponível a caminhonete Mitsubishi/Pajero 4X4, ano 2004, cujo valor de avalição é de R$ 32 mil. O lance inicial é de R$ 24 mil. Os bens foram apreendidos e colocados em leilão pela 3ª Vara da Justiça Federal, especializada no processamento de crimes contra o sistema financeiro nacional e de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores. O juiz é Odilon de Oliveira. Os lotes que não forem vendidos irão a leilão novamente no dia 25 de setembro. O pregão de venda será realizado simultaneamente através da internet e leilão presencial. O leilão será realizado no auditório da Justiça Federal, Rua Del. Carlos Roberto Bastos de Oliveira, nº. 128, Parque dos Poderes. Os lotes podem ser conferidos pelo site da leiloeira. Servidores – Por meio da assessoria de imprensa, o Sindjufe/MS, sindicato que representa os servidores federais do Estado, admitiu que a greve pode ter comprometido o leilão. Foi informado que os servidores estão em campanha pela derrubada do veto de Dilma Rousseff que  PLC 28/2015 que aumenta os salários das categorias. Por enquanto, a análise do veto pelo Congresso Nacional, que pode derrubar a decisão da presidente, está marcada para 22 de setembro.

 

Fonte: Diariodigital

Confira também

Fundtur dobra o valor para eventos geradores de fluxo turístico e reforça apoio aos destinos do Estado

A Fundação de Turismo de Mato Grosso do Sul (Fundtur) lançou dois editais para fomento …