Deputada ingressa com pedido de CPI para investigar o CIMI

A deputada estadual Mara Caseiro (PTdoB) apresentou nesta manhã (1) pedido de CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a responsabilidade do CIMI (Conselho Indigenista Missionário) por incitar e financiar invasões de terras tituladas em Mato Grosso do Sul.

O requerimento foi assinado por 10 parlamentares: Zé Teixeira (DEM), George Takimoto (PDT), Lídio Lopes (PEN), Paulo Corrêa (PR), Eduardo Rocha (PMDB), Márcio Fernandes (PTdoB), Ângelo Guerreiro (PSDB), Maurício Picarelli (PMDB) e Beto Pereira (PDT).

Além de documentos comprovando o financiamento de invasões, serão anexados vídeos e cartas onde os próprios indígenas relatam a ação do CIMI e discordam do processo de invasão de terras.

“Temos que saber quem são os elementos que estão incentivando o conflito, porque o CIMI não foi criado com essa intenção, tanto que recebem recursos de instituições até de fora do país, mas não fizeram nenhuma política para melhorar a situação dos índios”, criticou.

Mara Caseiro explicou que o pedido de abertura da CPI é mais uma tentativa de expor a verdade dos fatos e sensibilizar o governo federal sobre a importância de por um fim no conflito agrário em Mato Grosso do Sul.

“Já fizemos tudo o que podia ser feito, pedindo a ordem e o cumprimento da Constituição Federal. Fizemos audiências públicas, participamos de reuniões, estivemos com o ministro da Justiça e demonstramos todo o nosso sentimento de desespero e angústia, não só em nome dos produtores, mas dos índios, que hoje são massa de manobra na mão das organizações internacionais e igualmente vítimas desse sistema sujo. Mas nada foi feito”, lamentou a parlamentar.

Ao lado de outras lideranças do setor e representantes do movimento Pátria Livre, o produtor rural e ex-deputado estadual Ricardo Bacha esteve na Assembleia Legislativa para apoiar a criação da CPI.

“Essa CPI para investigar o CIMI vai poder averiguar se a entidade realmente financia e está por trás das invasões, porque existem indícios sérios apontando nessa direção”, afirmou.

De acordo com a Mesa Diretora da Assembléia, a necessidade de oito assinaturas é apenas o primeiro critério para se criar a CPI. Caso seja aprovada, deve contar com 120 dias para sua conclusão e contar com cinco membros titulares e cinco suplentes.

ANTÔNIO JOÃO

No último sábado (29), Mara Caseiro esteve no município de Antônio João, para participar de uma reunião na sede do Sindicato Rural com a presença de cerca de 300 produtores rurais, tanto locais quanto de Bela Vista, Jardim, Amambai, Aral Moreira e Ponta Porã.

Também estiveram no município os deputados federais Mandetta (DEM), Tereza Cristina (PSB) e o senador Waldemir Moka (PMDB), na tentativa de buscar um acordo e acalmar os ânimos.

A cidade vive desde a semana passada clima de tensão e violência após a invasão de várias propriedades e morte de um jovem indígena. No local, já estão equipes do DOF (Departamento de Operações de Fronteiras), Força Nacional de Segurança e Exército.

Confira também

Senado aprova MP de crédito para Covax Facility

O Senado aprovou hoje (3) a Medida Provisória 1004/2021, que abre crédito de R$ 2,5 bilhões …