Milhares de europeus se manifestam a favor da acolhida de refugiados

Milhares de pessoas se manifestam neste sábado (12) em cidades como Londres, Copenhague eHamburgo para pedir uma política de acolhimento dos refugiados, informam as agências internacionais France Presse e Reuters.

 As manifestações reuniram dezenas de milhares de pessoas em pelo menos nove países, incluindo as capitais Berlim, Madrid, Estocolmo, Helsinque, Atenas, Lisboa, e várias outras cidades na Europa, onde os refugiados muitas vezes chegam em condições terríveis, como na Hungria.

Alguns protestos contra o acolhimento de refugiados foram anunciados na República Tcheca, na Eslováquia e na Polônia, onde um fotógrafo da Reuters flagrou uma agressão de manifestantes de extrema direita contra uma pessoa de pele escura.

Neste sábado também houve novos anúncios em relação à crise dos refugiados fora da Europa. No Canadá, a primeira-ministra da província de Ontário anunciou que quer receber 5 mil imigrantes sírios até o fim de 2015, e outros 5 mil em 2016.

Inglaterra
Ao som de tambores, os manifestantes em Londres exibiam cartazes com dizeres como “Os imigrantes não são bodes imigratórios” ou “A vida dos refugiados conta”, em passeata que começou no Hyde Park e se dirigia para o gabinete do primeiro-ministro conservador David Cameron.

A manifestação conta com o apoio de diversas associações de caridade e organizações não-governamentais, entre elas Anistia Internacional e “Stop the war coalition”. O líder do Partido Trabalhista Jeremy Corbyn, recém-eleito este sábado, deve se unir à marcha.

Milhares de pessoas marcham neste sábado (12), da Trafalgar Square a Downing Street, em Londres, para pedir uma política de acolhimento dos refugiados (Foto: REUTERS/Kevin Coombs)
Alemanha
Milhares de pessoas participaram neste sábado de manifestações a favor de refugiados e contra a xenofobia em Hamburgo, no norte da Alemanha. A passeata ocorre após a proibição de uma marcha neonazista na cidade do Tribunal Constitucional germânico.

Segundo fontes policiais, a manifestação foi convocada por organizações de esquerda e partiram da estação central e reuniu cerca de 7.500 pessoas.

A manifestação não foi totalmente pacífica. Um grupo extremista atacou um trem depois de suspeitar que ultradireitistas estivessem nele. A confusão provocou a suspesão temporária do trânsito ferroviário.

Milhares de pessoas se manifestam em Hamburgo, Alemanha, a favor dos refugiados e contra xenofobia. 'Sem demonstrações nazistas. Refugiados são bem-vindos', diz a faixa. (Foto: Bodo Marks/AFP)
Dinamarca
Cerca de 30 mil pessoas também se manifestam neste sábado em Copenhague a favor da acolhida de refugiados, segundo uma estimativa da polícia.

“Tudo está transcorrendo em calma e ordem. Cuidem-se um dos outros”, afirmou a polícia em seu Twitter.

A Dinamarca decidiu tornar mais restritiva sua legislação em termos de migração.

Espanha

Madri também recebeu protestos de cidadãos espanhois que apoiam a abertura das fronteiras aos imigrantes e refugiados que buscam uma vida melhor na Europa. Com cartazes em espanhol e em inglês, os manifestantes pediram que a política da União Europeia seja baseada na paz e na justiça.

França

Na França, o presidente François Hollande visitou um centro de abrigo de refugiados sírios perto de Paris, para ver de perto as condições nas quais se encontram. Seu governo se comprometeu a receber 24.000 imigrantes.

Nas ruas a mobilização foi escassa e a maior manifestação ocorreu em Nice, onde houve apenas cerca de 700 pessoas.

Em Paris, onde a tarde foi muito chuvosa, apenas cerca de cem pessoas se manifestaram na praça do Trocadero, em frente à Torre Eiffel, para homenagear as cerca de 3.000 pessoas mortas desde o começo do ano ao tentarem chegar pelo mar à Europa.

Mulher mostra cartaz , com mãos de pessoas se afogando, durante manifestação em apoio aos migrantes e refugiados em Nice, França, neste sábado (Foto: AFP PHOTO/VALERY HACHE)
Manifestações contrárias à imigração
Cerca de cinco mil manifestantes antimigração se reuniram em Varsóvia, exibindo faixas com inscrições como “O Islã é a morte da Europa”, constatou um jornalista da AFP. Manifestantesespancaram um pedestre de pele escura na capital polonesa, antes de serem afastados por seguranças da própria organização do protesto, segundo um fotógrafo da Reuters.

Outra manifestação do mesmo tipo reuniu centenas de participantes em Praga e Bratislava.

 

Fonte: G1

Confira também

Governo Biden deve pressionar agro brasileiro

O novo presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, tomou posse nesta quarta-feira (20), anunciando medidas de fortalecimento da …