Relator de Comissão do Aquário diz que vai pedir providências do Governo

O deputado Amarildo Cruz (PT), quem fará o relatório final da Comissão de Representação que acompanha a obra do Aquário do Pantanal, disse durante discurso na tribuna em sessão desta quarta-feira (19/8) que cobrará providências do Governo do Estado, quanto à obra.

“O relatório terá com muitos dispositivos legais. Vamos nos concentrar em tudo o que está formalizado em relação aos trâmites da obra.É um cenário que nos preocupa muito. Mesmo estando mais de 80% concluída está difícil imaginar que isso vai acontecer em um curto espaço de tempo e o prejuízo só aumenta. O Governo Estadual tem que dar satisfação. Tem que dizer o que pensa, o cronograma e a previsão da conclusão. Até que ponto concluir essa obra é uma prioridade?”, questionou o deputado.

O petista ainda relembrou quanto às manifestações contrárias à realização da obra. “Entendemos que poderíamos ter e economizado [na contrapartida estadual]para investir em outras coisas. A Agesul está fazendo uma auditoria e também vamos tomar nota das conclusões que eles chegaram, afinal se for para concluir que seja o quanto antes”, afirmou Amarildo.

O presidente da Comissão do Aquário, Lidio Lopes (PEN), explicou que a maior parte do recurso é do Governo Federal e se Campo Grande não captasse esse investimento ele seria destinado a outra cidade. “Não podemos ficar dizendo que o dinheiro dessa obra ia para construir hospitais, por exemplo, porque esse recurso era específico [para Ciência e Tecnologia]e não outras áreas. Temos que pensar que ele vai conseguir atrair muitos turistas para o Estado, a expectativa é de 500 mil ao ano”, explicou.

Lidio Lopes ainda relembrou da obra do Tribunal de Contas, no governo de Pedro Pedrossian. “Essa obra ficou 24 anos parada e hoje é um dos tribunais mais modernos do país. O Governo via como uma ação visionária. O que eu quero dizer é que a obra do Aquário vem para registrar Mato Grosso do Sul. Temos que ter a sensibilidade para pensar agora em somente concluir a obra, sabendo que os recursos vão retornar ao Estado”, destacou.

Angelo Guerreiro (PSDB), também membro da Comissão, disse que os deputados devem discutir com o governador e o secretário de Obras o que pode ser feito, pois “quem abandonou a obra foi a empresa e não o Governo”, afirmou. Cabo Almi (PT) criticou o governo anterior. “O ex-governo foi mal assessorado ao optar pela criação dessa enorme obra, que realmente traz um prejuízo a todo o Estado, mas que agora temos que concluir”, disse Almi.

A deputada Antonieta Amorim (PMDB) ainda sugeriu que os deputados fizessem um requerimento cobrando celeridade na obra. “Cabe a nós, nesse momento de crise, cobrarmos celeridade. Tenho certeza que ainda vamos nos orgulhar dessa obra, que levará o nome de MS a muitos lugares”, sugeriu a deputada.

Os deputados da Comissão visitaram a obra nesta terça-feira (18/8). Você pode conferir neste link.E também ouviram todas as partes envolvidas na obra. Você pode reler as matérias pelo www.al.ms.gov.br. O relatório ainda não tem prazo definido para ser entregue.

Confira também

Aliança PSDB, DEM e PSD pode ser desfeita

A julgar pelo comportamento dos líderes de cada partido, que ensaiam candidaturas próprias para 2022, …