Reinaldo destaca ações do Governo para contornar a crise no Estado

Campo Grande (MS) – Durante o lançamento da Campanha de Conscientização da População sobre a Crise, evento promovido pela Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul (Assomasul), na manhã de hoje (10), na sede da entidade, o governador Reinaldo Azambuja destacou que o Estado tem feito sua parte para amenizar a situação. “Nós sabemos que a situação econômica do País piorou nos últimos anos e sabemos que a retração econômica afeta o crescimento, portanto é o momento de termos cautela na organização das finanças para atendermos as demandas”, disse.

Segundo o governador, Mato Grosso do Sul, apesar da crise, tem recebido investimentos, além de ter apresentado um crescimento nominal no ICMS de 5,11%, no período de janeiro a junho de 2015. Outra benfeitoria apontada por Reinaldo foi o reajuste dado ao transporte escolar, que há três anos estava estagnado e recebeu um aumento de 20%. “Temos também a Caravana da Saúde que já está amenizando alguns problemas no interior do Estado e com a qual dentro de um ano vamos contemplar todas as regiões e construir centros de atendimento nos polos regionais. Outra ação positiva foi o reajuste de 30% para o Fundo de Investimento Social [FIS], onde fomos de 20 para 26 milhões [de reais]para atender as demandas sociais”.

O programa Obras Inacabadas Zero também foi endossado pelo governador, que recentemente assinou 17 contratos, no valor de R$ 155 milhões para a manutenção de rodovias. Outro destaque no setor da Infraestrutura foi a parceria que será realizada com os municípios, onde os maquinários alocados para as empreiteiras na gestão passada, serão devolvidos em condições de uso e formarão patrulhas mecanizadas, que através das regionais da Agesul atenderão os municípios e suas estradas vicinais. Também está em estudo a criação de um fundo de desenvolvimento para recapeamento e micro-revestimento das estradas dos 79 municípios.

A reforma previdenciária é outra medida a ser adotada pelo Governo do Estado. Atualmente Mato Grosso do Sul capta mensalmente R$ 80 milhões da fonte 100, somente para pagar os inativos. “Vamos vender ativos do Estado e melhorarmos isso porque se não mexermos agora ficará pior lá na frente”, explicou.

Para Reinaldo, o momento é de acreditar em MS e ter um ambiente positivo e muita cautela. “Apesar da crise nosso Estado cresceu, cortamos gastos com cargos comissionados, diminuímos os números de contratos, de secretarias e será nosso grande desafio com os municípios atendermos as demandas da população, porque sabemos que nós é que somos cobrados. Vamos fortalecer nossa parceria e agora é momento de discutir trabalho e não política”, resumiu.

A Campanha

O protesto contra a crise financeira enfrentada pelos municípios fechou hoje (10) todas as prefeituras do Estado. A capital aderiu ao movimento na última quarta-feira (5).

No evento estiveram presentes os prefeitos dos 79 municípios, que receberam da Associação um kit para darem continuidade à Campanha por pelo menos 30 dias.

De acordo com o presidente da Assomasul, o prefeito de Nova Alvorada do Sul ,Juvenal Neto, o objetivo da campanha é chamar a atenção da população em relação aos problemas enfrentados pelos municípios, além de esclarecer qual é a responsabilidade de cada ente federativo (União, Estados e Municípios) para que os prefeitos não sejam olhados como únicos culpados por essa situação.

Também prestigiaram o evento os senadores Simone Tebet e Waldemir Moka; o líder da Assembleia Legislativa, Júnior Mochi; os deputados estaduais Geraldo Resende, Beto Pereira e Marcio Fernandes; a deputada federal Tereza Cristina Correa da Costa e outras autoridades.

Confira também

MS vai receber neste domingo 22 mil doses da vacina importada da Índia

O Ministério da Saúde confirmou neste sábado (23) que Mato Grosso do Sul vai receber duas caixas com 22 …