Movimento Fora Dilma em Campo Grande promete atacar também Lama Asfáltica

Evento será neste domingo na Praça do Rádio Clube

  • Em março, protesto reuniu pelo menos 30 mil pessoas nas ruas de Campo Grande .

Está marcada para este domingo (16) mais uma edição do Movimento Fora Dilma, que deve acontecer na Praça do Rádio Clube, às 14 horas. O objetivo, segundo os organizadores, é enfraquecer ainda mais a base aliada da presidente. O destaque desta edição deve ser a regionalização dos fatos, onde os manifestantes prometem abordar a Lama Asfáltica, André Puccinelli e o prefeito Gilmar Olarte.

Segundo Lucas dos Santos, 18, estudante de jornalismo e líder do Movimento Chega de Impostos, as manifestações começaram em ataque à corrupção nacional, focando principalmente no “monopólio de poder do PT” (Partido dos Trabalhadores) que já dura 14 anos, mas agora, vista a atual situação de Campo Grande e do Estado de Mato Grosso do Sul, também será regionalizado, abordando todo e qualquer tipo de corrupção.

“A gente vai se reunir na manifestação de domingo, com a Dilma como “cabeça líder”, mas não esquecendo das nossas corrupções municipais e estaduais. Não vamos deixar de lado o nosso prefeito, nosso caso da Lama Asfáltica, o André Puccinelli. Vamos abranger toda a corrupção que vem atingindo o país”, explica o estudante.

Já Vinícius Siqueira, 38, um dos organizadores do evento, o objetivo principal ainda será atingir a presidente. “ Queremos que ela renuncie, e por isso esta manifestação. Esperamos que com isso a base aliada, que antes era de 300 e passou para 130, diminua mais ainda”.

Os manifestantes ainda explicaram que durante a manifestação serão apresentados  vídeo com promessas de campanha da presidente na concha da praça, acompanhados de carros de som para discursos e teatros encenando a situação política do país.

A expectativa, repassada por Lucas, é de que 80 mil pessoas participem dos protestos em Campo Grande, neste domingo. “Não vamos estabelecer uma meta, vamos deixar a meta em aberto, e quando a gente atingir a meta, nós vamos dobrar a meta” diz o jovem ao afirmar que a frase é uma brincadeira interna, mas que reflete o ideal do movimento.

A princípio está programada apenas aglomeração na Praça do Rádio Clube, mas segundo os organizadores, conforme o número de pessoas, uma caminhada até o Parque das Nações Indígenas pode entrar na programação.

Confira também

Licitação para obras do Aquário não tem interessados e é declarada deserta

A Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) declarou deserta a oitava licitação aberta para …