Lideranças do setor produtivo de MS reúnem-se com presidente de consórcio italiano

Durante missão empresarial de lideranças do setor produtivo de Mato Grosso do Sul à Itália, os empresários Sérgio Longen (Fiems), Edison Araújo (Fecomércio-MS), Maurício Saito (Famasul), Alfredo Zamlutti (Faems) e Cláudio Mendonça (Sebrae/MS) reuniram-se, nesta quarta-feira (19/08), na cidade de Parma, com o empresário italiano Andrea Blandi, presidente do Consorzio Zenit, que é formado por 18 cooperativas e atua há 15 anos nas áreas de terceirização de serviços de manutenção, logística, saneamento, segurança e jardinagem, bem como na construção civil e na gestão de casas de repousos, creches, berçários e asilos.

Segundo Sérgio Longen, o encontro serviu para apresentar as áreas de atuação do Sistema S e discutir futuras parcerias com o Consorzio Zenit. “No caso da Fiems, temos a intenção de fazer um intercâmbio do Senai e o consórcio italiano em diversas áreas de atuação. Por enquanto, apenas iniciamos as tratativas para o estabelecimento dessa parceria, que poderá trazer ganhos para o setor industrial de Mato Grosso do Sul”, declarou.

Andrea Blandi já esteve em Campo Grande (MS) em setembro de 2010 para conhecer mais sobre a realidade das instituições salesianas, principalmente, os trabalhos ligados à educação e saúde. Durante a visita ao campus da UCDB na Capital, o presidente do consórcio italiano pode verificar a infraestrutura das clínicas-escola e alguns dos serviços prestados à comunidade local, além do biotério.

Expo Milão

A missão empresarial sul-mato-grossense está desde domingo (16/08) na Itália, onde participam da Expo Milão, uma feira mundial realizada na cidade italiana que começou no dia 1º de maio e vai até o dia 31 de outubro deste ano. Na exposição, eles já conheceram as novas tecnologias de produção e armazenamento de alimentos. “A Expo Milão nos surpreende a todo momento, pois os países expositores nos trazem o que há de melhor em termos de sustentabilidade e inovação na produção de alimentos”, declarou o presidente da Fiems.

Ele acrescenta que durante os três primeiros dias de visita à feira mundial na Itália já foi possível vislumbrar tendência do setor de produção de alimentos que podem ser aplicadas no Brasil. “Além das novas tecnologias de armazenamento e produção de alimentos, conhecemos o supermercado do futuro, onde podemos acompanhar desde o cultivo do produto colocado à venda até como ele se comporta na cadeia alimentar”, explicou.

A Expo Milão 2015 tem uma área de exposição de 1,1 milhão de m² distribuídos em 80 pavilhões posicionados em dois eixos ortogonais, 200 mil m² de área verde, 12 mil árvores, 130 mil m² destinados ao espaço expositivo dos países participantes, mais de 145 países e três organizações internacionais envolvidas – ONU (Organização das Nações Unidas), União Europeia e Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear -, mais de 20 milhões de visitantes esperados, 1,3 mil operários, 10 mil trabalhadores em escala nacional e internacional, €$ 575 milhões investidos pelos anfitriões, €$ 1 bilhão investido pelos países participantes e mais de €$ 350 milhões arrecadados por meio de parcerias firmadas com empresas nacionais e internacionais.

Confira também

MS já soma 127 notificações de dengue em 2021

O SES (Secretaria Estadual de Saúde) divulgou, nesta quarta-feira (13), o primeiro boletim epidemiológico de …