Incra diz ter sido surpreendido por ocupação de sem-terra

Manifestantes dizem que ocupação vai continuar no Incra

O superintendente interino do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) Sidnei Ferreira de Almeida, afirmou ao fim da reunião com um grupo de manifestantes de movimentos rurais sem-terra, que foi surpreendido pela ocupação do prédio, na manhã desta segunda-feira (24). Segundo ele, o grupo pertence a um novo movimento e na reunião foram dadas “orientações sobre o que é possível de ser feito”, com a força de trabalho de 30%, já que os servidores do órgão estão em greve.

Os manifestantes não ficaram satisfeitos com a reunião e afirmaram que vão permanecer ocupando o prédio. Segundo um dos líderes do movimento, que se identificou como Karrapixo, na reunião, o superintendente do Incra “tentou desmobilizar os manifestantes”. Ele ressaltou que o movimento é pacífico e que todas as salas foram fechadas para evitar acusações de sumiço de objetos do órgão.

Os sem-terra cobram a nomeação de um superintendente novo ao Incra e são expressamente contra a nomeação do interino, o cadastramento dos sem-terra na base e as 20 vistorias acordadas com a direção nacional do Incra.

Ao microfone, depois da reunião, os manifestantes fizeram críticas ao governo Federal e ao superintende interino. Os sem-terra declararam amparo à greve dos servidores do Incra, que deram apoio aos manifestantes, mas não endossaram as críticas e o pedido de nomeação de outro superintende do órgão.

Confira também

‘Não existe carne de segunda’, afirma especialista que virá para o Festival da Carne em MS

Especialista em carne, Marcelo Bolinha garante: “Em boi de primeira, não existe carne de segunda”. …